GP1

Política

Confira nomes das empresas investigadas na operação Lava Jato que doaram a Wellington e Ciro

O levantamento foi feito pelo GP1 tendo por base os registros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Todas as doações foram feitas no decorrer da campanha de 2010 através de transferência elet

Mais de 10 bilhões de reais lavados pelo grupo comandado pelo doleiro Alberto Youssef abastecia diretamente políticos, partidos e campanhas eleitorais. Policiais e procuradores de Justiça já sabem que, para manter a influência e garantir contratos para “amigos”, o doleiro e o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, destinavam grandes somas de dinheiro a autoridades. Registros oficiais de doações de campanha revelam que, de 2006 a 2012, as empresas e seus diretores agora investigados por participação no esquema destinaram pelo menos 856 milhões de reais para financiar candidaturas.
Imagem: GP1Wellington, Ciro e Júlio César(Imagem:GP1)Wellington, Ciro e Júlio César
No Piauí três parlamentares federais receberam doações de empresas agora investigadas por envolvimento com o doleiro, os senadores piauienses Wellington Dias (PT) e Ciro Nogueira (PP) e o deputado Júlio César (PSD). O levantamento foi feito pelo GP1 tendo por base os registros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Todas as doações foram feitas no decorrer da campanha de 2010 através de transferência eletrônica.

Wellington Dias levou sozinho R$ 250 mil da empresa Construções e Comércio Camargo Correa S/A, Ciro Nogueira R$ 150 mil da Camargo Correa Cimentos S/A e Júlio Cesar (PSD) R$ 50 mil da Mendes Junior Trading e Engenharia S/A todas envolvidas em operações suspeitas com o doleiro Alberto Youssef preso na operação Lava-Jato da Polícia Federal.

Clique aqui e confira doação da empresa Construções e Comércio Camargo Correa S/A para Wellington Dias

Clique aqui e confira doação da empresa Camargo Correa Cimentos S/A para Ciro Nogueira

Clique aqui e confira doação da empresa Mendes Junior Trading e Engenharia S/A para Júlio César


Outro lado

O GP1 entrou em contato com as assessorias dos senadores Ciro Nogueira e Wellington Dias que ficaram de enviar notas, o que não aconteceu até a publicação da reportagem. 

Já a assessoria do deputado federal Júlio César encaminhou uma nota de esclarecimento sobre a matéria. Confira a nota na íntegra:

"Em resposta a matéria publicada hoje (14), neste veículo, afirmo que as doações recebidas nos valores de R$ 50.000,00 foram da Imobiliária e Construtora Canaã, de titularidade dos meus filhos e da construtora Mendes Júnior Trading e Engenharia S/A, comprovadas e aprovadas em declaração junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Reafirmo que não recebi doações de empresas ligadas ao doleiro Alberto Youssef e desconheço qualquer relação entre as empresas doadoras da minha campanha ao investigado na operação Lava-Jato".


Curta a página do GP1 no facebook: www.facebook.com/PortalGP1
Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.