GP1

Política

Deputados aprovam PEC que limita gastos públicos no Piauí

Ela foi aprovada com 24 votos favoráveis e uma abstenção do deputado Dr. Pessoa (PSD).

Os deputados estaduais aprovaram na manhã desta segunda-feira (26) na Assembleia Legislativa do Piauí da PEC de nº 003/2016 apresentada pelo governador Wellington Dias (PT) que limita os gastos públicos por 10 anos no Estado do Piauí.

  • Foto: Lucas Dias/GP1PlenárioPlenário da Alepi

Ela foi aprovada com 24 votos favoráveis e uma abstenção do deputado Dr. Pessoa (PSD). Os deputados Robert Rios (PDT), Marden Menezes (PSDB), Firmino Paulo (PSDB), Juliana Falcão (PMDB) e Luciano Nunes (PSDB), que fazem oposição ao governo, não compareceram à votação.

“Vários estados estão atrasando os salários dos servidores. O governador está tomando todas as medidas para não atrasar os salários dos servidores no Piauí. Na votação tivemos uma abstenção e foram 24 votos favoráveis. O governador devia falar com todas as letras, se não aprovar a PEC os salários vão atrasar”, afirmou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Themístocles FilhoThemístocles Filho

Uma equipe da polícia de Choque fez a segurança no local para evitar ação de manifestantes. Themistocles explicou o reforço na segurança. "Se acontecer alguma coisa a culpa é do presidente da Assembleia, então foi para evitar qualquer coisa e terminar o ano tranquilo", explicou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1batalhão de Choque da Polícia Militarbatalhão de Choque da Polícia Militar
  • Foto: Lucas Dias/GP1Choque da PMChoque da PM

Entenda o caso

A PEC tem causado divergências envolvendo várias categorias e o governo estadual. Na quarta-feira (21), manifestantes tentaram invadir a sala da presidência da Alepi, mas foram contidos pela Polícia Militar. Na ocasião eles conseguiram impedir que a PEC fosse para votação.

A Assembleia Legislativa deveria ter entrado de recesso na última quinta-feira (22), mas os deputados decidiram esperar um encontro entre o governador Wellington Dias e membros de várias categorias que queriam o fim da PEC. O encontro aconteceu na sexta-feira (23) e terminou sem um acordo e com o governador confirmando que não iria tirar a proposta de pauta. Se a proposta for aprovada, as categorias prometem deflagrar greve geral.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.