GP1

Política

Lula não descarta candidatura de Wellington Dias à presidência

O ex-presidente ressaltou que o Partido dos Trabalhadores tem outros nomes além de Fernando Haddad, dentre eles, o governador do Piauí.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) apontou o governador Wellington Dias (PT) como um possível nome para disputar a presidência da República em 2022, durante entrevista ao portal UOL nesta quinta-feira (18).

Questionado pelo jornalista Kennedy Alencar sobre os possíveis cenários para 2022, Lula falou a princípio no nome de Fernando Haddad, que em 2018 chegou ao segundo turno, mas perdeu para Jair Bolsonaro. No entanto, o ex-presidente ressaltou que o Partido dos Trabalhadores tem outros nomes, dentre eles, o governador do Piauí.

Foto: Ricardo StuckertWellington Dias e Lula
Wellington Dias e Lula

“O PT não tem só o Lula, não tem só o Haddad. O PT tem o Rui Costa, governador da Bahia, o PT tem o Camilo [Santana], governador do Ceará, o PT tem o Wellington [Dias], tem a Gleisi [Hoffmann], o PT tem muita gente importante pra ser candidato”, declarou.

Lula também lembrou que, além dos nomes do PT, existem lideranças de outros partidos que integram o campo progressista. “O PCdoB tem candidato, o PSB pode querer ter candidato, o Ciro Gomes é candidato, a coisa mais extraordinária é que antigamente a gente tinha a disputa entre PMDB e Arena, agora não, agora você tem opções, você tem o Guilherme Boulos, pelo PSOL, que pode ser candidato”, continuou.

Frente ampla

O ex-presidente defendeu na entrevista que o PT precisa lançar candidato próprio em 2022 e que uma frente ampla deve ser costurada no segundo turno. “Objetivamente o PT tem que ter candidato no primeiro turno. Como você vai escolher quem será o candidato da frente ampla? É uma prévia? Uma pesquisa? A melhor prévia que tem é a disputa no primeiro turno, todo mundo que puder, lança candidato com o compromisso de que no segundo turno todo mundo se junta. Não pode é depois um inventar de ir para Paris, outro inventar de ir para a Suécia, temos que fazer um pacto no primeiro turno”, finalizou.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.