GP1

Política

Georgiano Neto diz que PSD não aceitará vaga de suplente de senador

“Não existe possibilidade, é uma situação que o PSD não cogita", afirmou o deputado estadual.

O deputado Georgiano Neto afirmou, nesta sexta-feira (28), que a participação do PSD na chapa majoritária do Governo para as eleições de 2022 é “quase um caminho sem volta” e que o partido não aceitará vaga de suplente de senador. O PSD faz parte da base aliada do governador Wellington Dias e acredita que terá um lugar de destaque na chapa que deverá ser encabeçada pelo secretário Rafael Fonteles.

“A participação do PSD na chapa majoritária é quase um caminho sem volta até porque nós somos cobrados por nossas bases, nós temos o melhor entendimento com o governador, com o secretario Rafael Fonteles que tem tudo para ser o pré-candidato do Governo”, argumentou o deputado.

Foto: Lucas Dias/GP1Deputado Georgiano Neto (PSD)
Deputado Georgiano Neto (PSD)

Segundo Georgiano Neto, o partido reivindica a vaga de senador ou vice-governador na disputa do próximo ano. “O PSD reivindica uma das duas vagas restantes, claro que cabe ao governador, que é o grande comandante, articulador do nosso campo político tratar com os partidos e vamos aguardar essas definições, temos tempo, esse ano é de trabalho, de vencer a pandemia, da recuperação econômica. Devemos deixar as discussões políticas para o próximo ano”, afirmou.

Questionado se o partido aceitaria a vaga de primeira suplência na chapa majoritária, Georgiano foi enfático ao responder que o PSD não trabalha com essa alternativa. “Não existe possibilidade, é uma situação que o PSD não cogita, inclusive, não abriremos diálogos em qualquer circunstância com uma situação proposta como essa. A gente espera que os resultados que o PSD tem apresentado sejam referência para estar na chapa majoritária do próximo ano”, finalizou.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.