GP1

Política

Júlio Arcoverde diz que PP não vai fechar questão para eleição do TCE

"Se depender do deputado Júlio a gente não vai fechar questão", afirmou o parlamentar.

O deputado Júlio Arcoverde, presidente estadual do Progressistas, disse nesta quarta-feira (01) que o partido não vai fechar questão quanto à disputa pela vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI), mesmo o partido tendo um candidato, que é o deputado Wilson Brandão.

Segundo Arcoverde, deve ser respeitada a individualidade de cada deputado na escolha. “Ainda não nos reunimos em relação a isso, mas se depender do deputado Júlio a gente não vai fechar questão, até porque temos vários colegas candidatos e acredito que a gente tem que respeitar a individualidade de cada um dos deputados na escolha do candidato”, explicou o parlamentar.

Foto: Lucas Dias/GP1Deputado Júlio Arcoverde
Deputado Júlio Arcoverde

“Cada um deve votar conforme o seu entendimento, conforme achar que aquele colega ou outro possa representar melhor nossa Casa no Tribunal de Contas”, completou Júlio Arcoverde.

Questionado se já tem um candidato, o deputado disse que não, mas que ainda espera que se encontre um consenso. “As coisas só vão ser decididas nos últimos dias, a Assembleia gosta de ter um consenso e eu acredito que até o final vão procurar isso. Eu acho difícil porque estou conversando com todos os candidatos e nenhum está disposto a abrir mão, mas enquanto tiver diálogo, nós vamos esperar até o dia 16 [data da eleição]”, finalizou.

Candidatos

Disputam a vaga, os deputados Flávio Nogueira Júnior (PDT), Flora Izabel (PT), Zé Santana (MDB) e Wilson Brandão (Progressistas) e cinco nomes da sociedade civil, os advogados Thiago Normando e Nayara Negreiros, o contador Roosevelt Negreiros, o procurador-geral de Teresina Ricardo Teixeira, o auditor do TCE José de Jesus Cardoso e o promotor Flávio Teixeira.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.