GP1

Saúde

CRM vai vistoriar Maternidade Evangelina Rosa na próxima quarta

A vistoria estava prevista para o último dia 20, no entanto o secretário estadual de Saúde, Florentino Neto, o diretor da maternidade, Francisco Macedo, e outros gestores do Estado pediram ad

Interditada eticamente desde o dia 21 de novembro, a Maternidade Dona Evangelina Rosa receberá, na próxima quarta-feira (30), uma vistoria de avaliação para verificar se os problemas apontados em relatório do Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI) foram solucionados.

A vistoria estava prevista para o último dia 20, no entanto o secretário estadual de Saúde, Florentino Neto, o diretor da maternidade, Francisco Macedo, e outros gestores do Estado foram ao CRM, no dia 15 de janeiro, e solicitaram o adiamento.

  • Foto: Divulgação/ AscomInterdição da Maternidade Evangelina RosaInterdição da Maternidade Evangelina Rosa

Durante a reunião, Florentino Neto apresentou um relatório de várias melhorias estruturais que foram recomendadas pelo Conselho e afirmou que muitas estarão concluídas até o final do mês.

Ele citou ainda que em um prazo de 24 meses o novo prédio da maternidade, localizado na zona leste de Teresina, será entregue. Ainda de acordo com o secretário, já está empenhado o valor de R$ 51 milhões para as obras e o Governo do Estado terá como contrapartida R$ 17 milhões, totalizando R$ 68 milhões. A obra custará mais de R$ 80 milhões.

Após a vistoria do CRM, será decidido se haverá a desinterdição ou ampliação do prazo da interdição, que impede que a maternidade receba pacientes de baixa e média complexidade.

Entenda o caso

No dia 20 de novembro de 2018, o Conselho Regional de Medicina determinou a interdição ética do trabalho médico da porta de entrada da Maternidade Dona Evangelina Rosa, no sentido de admitir apenas o atendimento as gestantes com alto risco e mediante sistema de regulação, ou seja, transferidas de outras maternidades.

A decisão ocorreu após a constatação de irregularidades como o número elevado de mortalidade de bebês, superlotação e falta de insumos. Foi concedido prazo de até 60 dias para regularização das condições por parte do Governo do Estado.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

FMS discute sobre interdição parcial da Maternidade Evangelina Rosa

Jornal Nacional repercute interdição da Maternidade Evangelina Rosa

CRM interdita Maternidade Dona Evangelina Rosa por 60 dias

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.