GP1

Saúde

Alemanha, França e Itália suspendem uso da vacina de Oxford

As medidas foram tomadas como forma de precaução depois de casos recentes de trombose registrados no continente.
Por Estadão Conteúdo

Mais três países europeus suspenderam o uso da vacina de Oxford/AstraZeneca em suas campanhas de vacinação contra a covid-19 nesta segunda-feira, 15. Alemanha, França e Itália disseram que tomaram a medida como forma de precaução depois de casos de trombose registrados no continente. A relação entre os casos e os imunizantes não está comprovada. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda continuar o uso da vacina nas campanhas de imunização.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) afirmou oficialmente que não há indícios concretos de que a vacina esteja relacionada ao aumento do risco de coágulos sanguíneos. De acordo com a agência, os 30 casos registrados entre os cinco milhões de imunizados com a vacina de Oxford/AstraZeneca não é superior aos que ocorrem na população em geral.

A Itália já havia suspendido o uso de um lote da vacina na semana passada depois da morte de um militar e um policial no sul do país. Os casos estão sendo investigados e nenhuma relação com a vacina está comprovada até o momento.

O Ministério da Saúde da Alemanha disse que a decisão foi baseada em um conselho do órgão regulador de vacinas do país, o Instituto Paul Ehrlich, que pediu uma investigação mais aprofundada dos casos. Em uma declaração, o ministro disse que a EMA decidirá "se e como essas novas informações vão afetar a autorização da vacina."

Já o presidente da França, Emmanuel Macron, disse que vai suspender o uso do imunizante de Oxford/AstraZeneca enquanto aguarda uma avaliação da EMA, prevista para terça-feira.

Áustria, Dinamarca, Islândia, Noruega, Bulgária, Tailândia e República Democrática do Congo já tinham suspendido o uso da vacina.

Relembre

Possíveis casos de coágulos no sangue em pessoas que receberam doses da vacina de Oxford/AztraZeneca foram registrados em países da Europa. A informação foi divulgada na semana passada. O comitê consultivo de especialistas da OMS e agências europeias estão analisando a situação. Ainda não há nenhuma relação comprovada entre a vacina e os casos registrados e a porta-voz da OMS ressaltou que não há razão para suspender o uso do imunizante.

A Dinamarca, onde um caso de coagulação sanguínea foi confirmado, suspendeu por 14 dias a aplicação da vacina de Oxford/AstraZeneca. A Áustria também barrou o uso de doses de um lote específico (número ABV5300) do imunizante para investigar um óbito por problemas de coagulação e um caso de embolia pulmonar. Não se sabe quantos problemas de saúde, ao todo, foram relatados.

No sábado, as autoridades sanitárias norueguesas informaram a hospitalização de três profissionais de saúde com trombocitopenia (número anormalmente baixo de plaquetas no sangue), sangramento e coágulos sanguíneos. Apresentados como relativamente jovens, todos foram vacinados com uma dose da vacina de Oxford/AstraZeneca.

Uma delas, uma mulher com menos de 50 anos e de "boa saúde", morreu no domingo de hemorragia cerebral, disseram autoridades sanitárias. "Não podemos descartar ou confirmar que isso tem relação com a vacina", disse Steinar Madsen, chefe da Agência Norueguesa de Medicamentos, em entrevista coletiva.

Outra profissional de saúde na casa dos 30 anos morreu na sexta-feira na Noruega, dez dias depois de receber a mesma vacina.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.