GP1

Kleber Montezuma diz que Dr. Pessoa criou 'gabinete do ódio'

"É uma espécie de um gabinete do ódio que o prefeito organizou dentro da prefeitura", disparou.

O ex-secretário de Educação de Teresina e ex-candidato a prefeito da Capital, professor Kleber Montezuma (PSDB), soltou o verbo para cima do prefeito Dr. Pessoa (MDB) e o acusou de ter instalado um gabinete do ódio no Palácio da Cidade, para atacar a honra de pessoas públicas.

Em um vídeo gravado pelo Repórter Popular, Montezuma afirma que com cinco meses de gestão Dr. Pessoa ainda não teria feito nada pela cidade. Segundo o tucano, a nova administração criou um gabinete do ódio para atacar a honra das pessoas, e citou o padre Tony Batista, o coordenador da Fazenda da Paz, Célio Barbosa, e o maestro Aurélio Melo, da Orquestra Sinfônica de Teresina.

Foto: Marcelo Cardoso/GP1Kleber Montezuma
Kleber Montezuma

”O que eu posso dizer é que, lamentavelmente, a administração não começou, cinco meses que assumiu e não começou a administração, não se vê absolutamente nada que possa se dizer que esta é a marca da administração que assumiu há cinco meses. O que a gente percebe é uma espécie de um gabinete do ódio que o prefeito organizou dentro da prefeitura para atacar a honra das pessoas, foi assim com o padre Tony, na área social, foi assim com o Célio da Fazenda da Paz, também na área social, foi assim, mais recentemente, com o pessoal da cultura, o maestro Aurélio, tem sido assim com os empresários de ônibus, atacando a honra dos empresários, e as soluções não aparecem, os encaminhamentos para as soluções não aparecem”, disse o ex-secretário.

Kleber também ironizou a promessa de campanha de Dr. Pessoa, que havia prometido resolver o problema do transporte público de Teresina em 100 dias e já se foram cinco meses, sem nenhuma solução. O tucano subiu o tom e afirmou que Dr. Pessoa agiu como Pôncio Pilatos, lavando as mãos diante das próprias responsabilidades.

“Veja o caso dos ônibus, cinco meses depois de ter assumido não tem um encaminhamento, e fez pior, transferiu a responsabilidade para a Câmara de Vereadores, transporte coletivo é uma concessão do Poder Executivo Municipal, é ele que tem que apresentar os encaminhamentos devidos para a solução dos problemas que existem e não transferir para a Câmara de Vereadores, é como se fosse Pilatos, quer lavar as mãos diante das suas responsabilidades, transferindo para outro setor. Ora, tem problemas, se tem problemas apresente os encaminhamentos para a solução, é isso que a população espera, aqueles que precisam de ônibus estão aí olhando para cima, sem ter o ônibus que foi prometido, que seria resolvido em 100 dias e já são cinco meses”, ironizou Kleber Montezuma.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.