GP1

Tem advogado no Piauí que pensa que é Deus e a OAB é o céu

A OAB hoje atua como uma espécie de sindicato que defende somente os direitos de advogados.

A Ordem dos Advogados já foi protagonista de grandes lutas históricas no Brasil em favor da sociedade, cito como exemplo, as Diretas Já nos anos 1983 e 1984. Quiçá voltassem os velhos tempos; mas, não voltam e a OAB esqueceu suas atribuições capituladas no art. 44, da Lei Federal de nº 8906/94, inciso I, transcrevo: 

“A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), serviço público, dotada de personalidade jurídica e forma federativa, tem por finalidade: 

I - defender a Constituição, a ordem jurídica do Estado democrático de direito, os direitos humanos, a justiça social, e pugnar pela boa aplicação das leis, pela rápida administração da justiça e pelo aperfeiçoamento da cultura e das instituições jurídicas”. 

A instituição hoje atua como uma espécie de sindicato que defende somente direitos de advogados.

Foto: Marcelo Cardoso/GP1OAB
OAB

Nos últimos anos, o trabalho da OAB Piauí se tornou vexatório, tentando intimidar instituições como o Tribunal de Contas (TCE), o Ministério Público, a Polícia Civil, a Polícia Federal e até mesmo a Imprensa. 

Podemos citar como exemplo recente a atitude de diversos advogados que ameaçaram e intimidaram o delegado Danilo Barroso na Central de Flagrantes, durante a prisão do advogado Marcus Vinicius Nogueira, no dia 02 de dezembro. O advogado se envolveu em um acidente de trânsito que culminou com a morte de um homem de 53 anos e deixou gravemente ferida uma criança de 9 meses. 

Outro exemplo, ocorrido em outubro deste ano, foi quando a Comissão de Prerrogativas, comandada pelo próprio advogado Marcus Vinicius Nogueira, promoveu uma manifestação tentando intimidar conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI). 

Situações parecidas têm vivido a imprensa, que por diversas vezes sofreu tentativas de amordaçamento com notas intimidatórias emitidas pela OAB Piauí questionando o trabalho dos jornalistas e solicitando que matérias sobre prisão de advogados envolvidos em crimes fossem retiradas do ar. O corporativismo na OAB Piauí passou a ser notório e reforçado nas últimas gestões.

Na época de juristas como Sobral Pinto, a Ordem dos Advogados defendia a Constituição, a ordem jurídica do Estado democrático de direito, os direitos humanos, a justiça social, e pugnava pela boa aplicação das leis; e não apenas de sua Classe. 

Não dá para tolerar "prerrogativas especiais" para advogados como justificativa para cometer crimes. Esses advogados, que exalam um ar de superioridade, passaram por universidades e se formaram para defender o Direito e a Lei, mas na realidade querem estar acima deles. Tem advogado no Piauí que pensa que é Deus e a OAB é o céu! 

Pessoas que cometem crimes, independente de qual seja a sua profissão ou posição social, devem responder por seus atos. Os advogados precisam entender que ter o direito à defesa não significa passar a mão na cabeça e acolher o infrator por ser seu colega de profissão.  

PS: Presidente da OAB, Celso Barros Neto, deixe o sindicalismo de lado, defenda a Constituição e lute pela boa aplicação das leis indistintamente; mesmo que o infrator seja um dos seus. Não dá para defender o indefensável, advogado! 

*** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do GP1

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.