GP1

Brasil

Carcaça de baleia de 20 toneladas encalha na Praia de Ipanema

A baleia está em avançado estado de decomposição, portanto ainda não se sabe a causa da morte.

Banhistas que frequentam a praia de Ipanema, na zona Sul do Rio de Janeiro, tiveram uma surpresa durante o feriado desta quarta-feira (15). Uma baleia, de aproximadamente 20 toneladas e 14 metros de comprimento, ficou na faixa de areia já sem vida e em avançado estado de decomposição.

Por volta das 8 horas da manhã o animal, que é macho, foi avistado por bombeiros de Copacabana na altura do Posto Oito, no início da praia. A causa da morte do mamífero ainda é incerta e dificilmente será descoberta, já que o óbito teria sido entre sete e dez dias atrás.

  • Foto: Fausto Maia/Agência O Dia/Estadão ConteúdoBaleira é encontrada morta na praia de IpanemaBaleira é encontrada morta na praia de Ipanema

O biólogo Rafael Carvalho, do Laboratório de Mamíferos Aquáticos e Bioindicadores (Maqua) do Departamento de Oceanografia da Universidade do Rio de Janeiro (Uerj), explicou ao Estadão que possivelmente esta baleia tenha sido vítima de embarcações que exploram petróleo no mar e fazem uso de explosivos que deixam animais desorientados e fragilizados por conta do barulho.

O biólogo também não descartou a hipótese da baleia ter sido infectada por vírus ou bactérias e a poluição do ambiente marinho pode ter piorado a saúde da baleia.

Remoção

A remoção da carcaça do animal ficou por conta da Companhia Municipal de Limpeza Urbana com auxílio da Guarda Municipal. O Corpo de Bombeiros foi acionado para que não houvesse nenhum acidente com banhistas, que chegaram até a tocar no corpo do mamífero. Foram acionados também técnicos do Inea, do Maqua e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.