GP1

Brasil

Globo demite jornalista investigado por negócios suspeitos

Tyndaro Menezes é suspeito de participar de um esquema para o fornecimento de insumos a hospitais.

O chefe de jornalismo investigativo, Tyndaro Menezes, foi demitido nessa terça-feira (17), da TV Globo. Conforme a emissora, a decisão foi tomada após uma investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro sobre o envolvimento do jornalista em negócios suspeitos na área da saúde.

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Tyndaro Menezes estaria envolvido em um esquema na área da saúde para o fornecimento de insumos a uma rede de hospitais.

O processo era intermediado pelo ex-delegado Ângelo Ribeiro de Almeida Júnior. Ainda segundo Gaeco, ele foi afastado de suas atividades na Delegacia Fazendária Fluminense por corrupção e lavagem de dinheiro.

Em e-mails, o Ministério Público encontrou um trecho de uma conversa que detalhava a divisão de valores com o jornalista Ângelo Ribeiro. Sérgio Cortês, ex-secretário de Sérgio Cabral, também é acusado de participar do esquema.

Ao site Poder 360, o Gaeco afirmou que os trechos das conversas “foram extraídos das medidas cautelares manejadas no decorrer da investigação”. O órgão acrescentou ainda que a investigação vai ser enviada nos próximos para o Ministério Público Federal (MPF).

Já ao SBT News, o jornalista Tyndaro Menezes negou as acusações, mas afirmou que foi conhece o ex-delegado. “A tentativa do empresário e do delegado de vender produtos hospitalares nunca foi concluída. Nenhuma empresa chegou a sequer ser aberta, portanto, eu não poderia ter recebido nenhuma comissão. Não negociei valores, percentuais ou coisa do tipo. Se cometi algum erro foi ético por ter apresentado o empresário ao delegado. Não sou acusado de nada ilícito ou ilegal”, disse ao site.

Por meio de nota, a Rede Globo confirmou a demissão de Tyndaro Menezes, mas acrescentou que não comenta questões de Compliance na empresa. “O profissional citado não está mais na empresa. A Globo não comenta questões relacionadas a Compliance. Reitera que tem um Código de Ética, que deve ser seguido por todos os colaboradores, e uma ouvidoria pronta para receber quaisquer relatos de violação. Todo relato é apurado criteriosamente assim que a empresa toma conhecimento e as medidas necessárias são adotadas”, disse a emissora em nota.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.