Teresina - PI

Dudu chama Ciro Nogueira de ingrato após críticas a Wellington

“O que ele deve fazer, é botar a mão na consciência e lembrar que que a bancada do PP foi eleita com o apoio do governador Wellington Dias, assim como ele próprio", disse Dudu.

Bárbara Rodrigues
Teresina
Germana Chaves
Teresina
- atualizado

O vereador Dudu Borges (PT) rebateu nessa terça-feira (1) as críticas do senador Ciro Nogueira(PP) que disse que o Governo Wellington Dias (PT) não pode mais contrair empréstimos com boas taxas devido ao rebaixamento da nota junto ao Governo Federal e que os recentes empréstimos vão gerar graves consequências.

Desde que Wellington Dias decidiu romper com Ciro Nogueira, o senador tem feito várias críticas à gestão petista. O vereador fez uma alerta ao senador sobre as suas atitudes, afirmando que ele está sendo ingrato.

  • Foto: Alef Leão/GP1Dudu BorgesDudu Borges

“O que ele deve fazer, é botar a mão na consciência e lembrar que que a bancada do PP foi eleita com o apoio do governador Wellington Dias, assim como ele próprio. Ele não deve ser ingrato, o pior que tem do ser humano é ter ingratidão. E na política, o pior que tem e quem paga um preço alto, é ser um traidor”, afirmou.

Dudu afirmou que com essas atitudes, o senador estaria demonstrando que torce contra o Piauí. “Vendo agora o senador Ciro Nogueira dizendo que é pai e mãe de todas as verbas federais que estão vindo para cá, ele esqueceu de dizer que é um bom analista de Portal da Transparência, de verbas que são transferidas constitucionalmente para os estado e municípios. Criticar os empréstimos, é lamentar que um senador da república, que eu votei, possa estar torcendo contra o estado”, declarou.

O vereador de Teresina afirmou que age de forma diferente de Ciro Nogueira e que apoiou os empréstimos realizados pelo prefeito Firmino Filho (PSDB) na capital.

“Eu sou oposição a Prefeitura de Teresina, mas as coisas positivas, a gente não pode ser hipócrita de não apoiar. Vou dizer aqui dos empréstimos. Eu como vereador votei em todos os empréstimos e abertura de créditos especiais, pois entendo que em qualquer momento o dinheiro público serve para alavancar a economia e em uma crise profunda, mais aprofundada com a covid-19, aí que a gente precisa se unir, para poder alavancar a economia”, destacou.

Mais conteúdo sobre: