Mundo

Espanha registra 832 mortes por coronavírus em 24 horas

País agora registra mais de 5,6 mil vítimas fatais da covid-19; total de pessoas curadas também tem alta.

Por  Estadão Conteúdo

O ministério espanhol da Saúde anunciou neste sábado, 28, que 832 pessoas morreram nas últimas 24 horas vítimas do coronavírus, um novo recorde diário no país. O número eleva o total de óbitos no país a 5.690, o segundo maior balanço do mundo. A Espanha também registrou mais 8.189 contágios confirmados de coronavírus, o que sobe o total de casos oficialmente diagnosticados para 72.248.

O número de pessoas curadas também registrou forte alta (31,3% em 24 horas) e agora são 12.285, de acordo com os dados do ministério.

Enquanto o país luta para conter a pandemia, o premier espanhol, Pedro Sánchez, faz esforços para obter ajuda financeira da União Europeia (UE) para ativar a economia. "A UE deve aprender as lições do passado e não voltar a falhar com os cidadãos", tuitou Sánchez, na sexta-feira, 27, referindo-se à crise financeira iniciada em 2008, quando os países-membros mais ricos mostraram-se intransigentes em relação aos vizinhos do sul, fortemente endividados.

"A resposta europeia deve ser solidária, com foco nos mais vulneráveis", insistiu o chefe de governo socialista, cujo país é o segundo com mais vítimas fatais, atrás da Itália. "A UE deve impulsionar um plano de reconstrução que reforce os mecanismos do estado europeu de bem-estar", assinalou.

Os 27 países-membros não conseguiram definir a resposta econômica e financeira para a crise sanitária, durante uma reunião de cúpula que terminou com o premier português denunciando a "mesquinharia" da Holanda.

Segundo a imprensa holandesa, a ministra das Finanças daquele país, Wopke Hoekstra, sugeriu investigar-se por que certos países não pouparam o suficiente e, agora, não têm margem orçamentária para enfrentar a pandemia.

"Esse discurso é repugnante dentro da União Europeia", criticou ontem o mandatário português, Antonio Costa, advertindo que "mesquinharia recorrente mina totalmente o espírito da União Europeia.

Esta crise não será resolvida se cada país decidir agir por sua conta", assinalou, por sua vez, a ministra da Fazenda e porta-voz do governo espanhol, María Jesús Montero, lembrando que este tipo de atitude "espalhou sementes de descontentamento" com a Europa durante a recessão iniciada em 2008.

Como na crise da dívida da zona do euro, entre 2010 e 2012, trava-se uma batalha dentro da UE entre o sul, partidário de uma maior solidariedade fiscal, e o norte, desconfiado da negligência orçamantária dos vizinhos.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Vacina para novo coronavírus deve demorar pelo menos 18 meses

Desenhista Daniel Azulay morre com coronavírus no Rio de Janeiro

Mais conteúdo sobre: