Piauí

Fábio Abreu diz que Piauí reduziu índices de criminalidade

Segundo o deputado, que estava no comando da Secretaria Estadual de Segurança Pública, o Piauí não tem registrado tantos crimes, por isso a redução tem sido menor.

Bárbara Rodrigues
Teresina
Germana Chaves
Teresina
- atualizado

O deputado federal Fábio Abreu (PL) comentou nessa segunda-feira (21) o fato do Estado do Piauí aparecer com a menor redução nos crimes no país.

Segundo o deputado, que estava no comando da Secretaria Estadual de Segurança Pública, tem sido desenvolvido um trabalho ao longo dos anos, que reduziu constantemente os crimes e que por isso o Estado do Piauí aparece com o menor índice de redução.

  • Foto: Alef Leão/GP1Fábio AbreuFábio Abreu

“A gente fez o dever de casa e nos próximos anos esperamos não reduzir mais que outros estados. O Ceará ter reduzido muito, é porque a violência lá estava no teto. O Piauí já fez esse dever de casa desde 2015, é só observar as reduções que foram feitas e é natural que a partir de então que tenham redução menores”, afirmou.

Ele explicou que o estado espera chegar a um ponto de estabilização. “Estamos reduzindo pouco, porque a criminalidade é pequena, baixa em relação aos demais estados e a tendência é essa, chegar a estabilizar e trabalhar nessa estabilização. Então essa notícia que mais reduziu não é importante, pois já atingimos esse objetivo”, explicou.

Levantamento realizado pelo Monitor da Violência apontou que no Piauí a diferença entre o primeiro semestre de 2019 e o mesmo período de 2018 é de 4 mortes violentas a menos. Foram 302 homicídios em 2018 e 298 no primeiro semestre de 2019.

Retorno à Câmara

Fábio Abreu foi exonerado da Secretaria de Segurança Pública para poder retornar à Câmara dos Deputados e poder destinar os recursos das suas emendas. Ele explicou que muitos recursos vão ser destinados para a saúde pública em Teresina.

“Fizemos esse retorno, apresentamos alguns projetos, indicamos recursos para emendas para a área da saúde, bastante direcionada para Teresina, para o Hospital do Mocambinho, para o Hospital infantil, o HUT e também obras. Existe a necessidade de completar esses elevados que estão sendo feitos na BR, foi feito o do Barão da Miguel Rosa, está sendo feito o do Mercado do Peixe e estamos indicando um viaduto na ladeira do Uruguai. Entendemos que é o último gargalo daquele processo e estamos indicando recursos para aquele viaduto, entre outras ações, como a Zona Franca de Teresina, que é um projeto para futuro”, afirmou.

Mais conteúdo sobre: