Polícia

Greco divulga nomes dos presos na Operação Remanescentes

A investigação foi comandada pelo delegado Gustavo Jung. Nesta terça-feira os policiais deram cumprimento a 7 mandados de prisão preventiva e 8 mandados de busca e apreensão.

Bárbara Rodrigues
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
- atualizado

Greco realiza entrevista coletiva sobre "Operação Remanescentes”

A Secretaria de Estado da Segurança Pública, por meio do Grupo de Repreensão ao Crime Organizado (GRECO) divulgou, na manhã dessa terça-feira (20), os nomes dos oito presos na "Operação Remanescentes”, suspeitos de participação em crimes contra instituições bancárias no estado do Piauí, mais especificamente na cidade de Teresina, com o foco em roubos, armas e drogas.

A investigação foi comandada pelo delegado Gustavo Jung. Nesta terça-feira os policiais deram cumprimento a 7 mandados de prisão preventiva e 8 mandados de busca e apreensão. Foram presas sete pessoas que serão indicadas por organização criminosa, tráfico de drogas e roubo. Uma pessoa foi presa em flagrante por tráfico de drogas.

Entre os presos, estão dois homens que tentaram roubar o Banco do Brasil na Avenida Jóquei Clube, no dia 11 de agosto. O delegado geral, Luccy Keiko, destacou a periculosidade do grupo. “Um dos crimes que podemos citar é que nos dias dos pais eles tentaram arrombar os caixas eletrônicos da Avenida Jóquei Clube. Temos inclusive imagens que mostram a ação. Então o Greco começou a diligenciar e investigar os integrantes dessa organização criminosa e descobrimos que quem estava comandando esse grupo era um indivíduo conhecido como Javeleta, que é bastante conhecido nas investigações policiais. Ele estava de tornozeleira eletrônica e comandava esse grupo. Ele é bastante perigoso e com relações com o Marcelo Negão, que é foragido daquele assalto lá de Campo Maior”, explicou.

O delegado Gustavo Jung explicou que a quadrilha cometia vários crimes. “Recebemos a informação há uns 3 meses que existia um grupo na capital de Teresina que estava atentando contra caixas eletrônicos e contra demais instituições financeiras. Constatamos que alguns membros dessa organização estavam cometendo crimes, desde tráfico de drogas, roubo a comércios, crimes de diversas modalidades, como tentativas de assalto a caixas eletrônicos, assim como aconteceu no Banco do Brasil da Avenida Jóquei Clube. Então deflagramos a operação, tanto com foco nos crimes contra instituições financeiras e até mesmo no tráfico de drogas, pois eles pegavam o dinheiro [dos assaltos] e compravam drogas, como uma forma de lavagem de dinheiro”, explicou o delegado.

Todos os presos vão prestar depoimento e depois serão encaminhados ao sistema prisional. Participaram da operação a Divisão de Operações Especiais (DOE), Polinter, Bope, DINT, e até a Polícia Federal, que participou da operação porque existem suspeitas que o grupo teria participado de assaltos a bancos da Caixa Econômica Federal.

Confira a atuação de cada preso:

- Luis Afonso Lima de Jesus, mais conhecido como Javeleta, era o líder do grupo.

- Guilherme Henrique Andrade Nunes, foi preso por vender drogas em parceria com Foguinho a mando de Javeleta.

- Jonas dos Santos Campelo, mais conhecido como Foguinho, é suspeito de vender drogas em parceria com Guilherme, a mando de Javeleta. Muita droga foi apreendida em seu poder.

- Felipe Gustavo Reis de Carvalho, mais conhecido como Paulista, foi preso pela prática de roubos que teriam sidos a mandos de Javeleta. Ele foi um dos homens que tentou roubar o Banco do Brasil da Avenida Jóquei Clube, em no dia 11 de agosto de 2019. Ele ainda possui um mandado de prisão em aberto, de Goiás, por homicídio.

- Rafael da Cruz Oliveira, mais conhecido como Dibala, foi preso pela prática de roubos em parceria com Paulista. Ele foi um dos homens que tentou roubar o Banco do Brasil da Avenida Jóquei Clube, em no dia 11 de agosto de 2019.

- Rafaela Manaíra da Silva de Sousa foi presa por guardar objetos ilícitos a mando do Paulista. Muita droga foi apreendida em seu poder e ela ainda tinha um mandado de prisão em aberto.

- Adenilson de Melo Nascimento, é casado com a Rafaela Manaíra, e foi preso tráfico de drogas em parceria com sua esposa.

- Francisco de Sousa Macedo, mais conhecido como Chiquinho, foi preso por cometer crimes diversos em parceria com Paulista e ele ainda tinha um mandado de prisão em aberto.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Greco deflagra Operação Remanescentes e cumpre mandados em Teresina

Câmera flagra criminosos tentando roubar banco na Jóquei Clube