Cocal dos Alves - PI

Justiça Eleitoral cassa mandato do vice-prefeito Chagas Môco

A sentença foi dada em 12 de abril deste ano pelo juiz Carlos Augusto Arantes Júnior, da 53ª Zona Eleitoral.

GIL SOBREIRA
DE TERESINA
- atualizado

A Justiça Eleitoral cassou o mandato do vice-prefeito de Cocal do Alves, Francisco Cardoso Vieira (PT), o conhecido Chagas Môco, acusado de captação ilícita de sufrágio. A sentença foi dada em 12 de abril deste ano pelo juiz Carlos Augusto Arantes Júnior, da 53ª Zona Eleitoral.

Chagas Môco foi acusado pelo Ministério Público Eleitoral de constranger o eleitor José Cardoso de Brito, conhecido como José Felipino, no sentido de vincular a concessão de uma vantagem, a aposentadoria, à troca de voto.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Juiz Carlos Augusto Arantes Júnior da 53ª Zona Eleitoral, localizada na cidade de Cocal Juiz Carlos Augusto Arantes Júnior da 53ª Zona Eleitoral, localizada na cidade de Cocal

O vice é conhecido por sua atuação à frente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cocal dos Alves.

O juiz declarou a inelegibilidade de Chagas Môco para as eleições a se realizarem nos 8 (oito) anos subsequentes ao pleito de 2016, e ao pagamento de multa correspondente a 10.000 (dez mil) Ufir, proporcional à gravidade da espécie.

Cabe recurso ao Tribunal Regional Eleitoral do Piauí.

Outro lado

Procurado, na tarde desta quarta-feira (18), Chagas Môco não foi localizado para comentar o caso. O GP1 está aberto a esclarecimentos.