Teresina - PI

Maternidade Evangelina Rosa critica divulgação de foto em UTI

Viralizou nos últimos dias uma foto que mostra um gato próxima a uma criança prematura na Maternidade Dona Evangelina Rosa.

Andressa Martins
Teresina
- atualizado

Após viralizar na internet uma foto de um gato ao lado de um bebê prematuro no Centro Obstetrício da Maternidade Dona Evangelina Rosa, a assessoria da maternidade criticou a divulgação da imagem. De acordo com a nota encaminhada para a imprensa, um aparelho celular dentro da sala poderia levar bactérias aos bebês.

Na nota a maternidade também destaca que é ilegal a divulgação da imagem da criança, tendo como base o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). No documento, a maternidade informou ainda que iria apurar se a foto não se tratava de uma montagem.

  • Foto: DivulgaçãoGato é flagrado ao lado de bebê na Maternidade Dona Evangelina Rosa Gato é flagrado ao lado de bebê na Maternidade Dona Evangelina Rosa

Confira a nota na íntegra:

Sobre a denúncia de um gato ao lado de um bebê prematuro, supostamente na Maternidade dona Evangelina Rosa ( MDER), a Instituição esclarece que desconhece esse espaço na Unidade Hospitalar, mesmo assim, pelo nosso compromisso com a transparência e em respeito a outros meios de comunicação que tiveram acesso às imagens, estamos realizando uma investigação através das câmeras de segurança da Casa. Também foi solicitada um perícia para revelar se trata-se de uma montagem.

Como todas as crianças aqui internadas são de responsabilidade da Evangelina Rosa, lembramos, ainda, que segundo o Estatuto da Criança de do Adolescente (ECA) – é crime publicar imagens de crianças e adolescentes, mais grave ainda em situação delicada de um bebê prematuro, que inspira cuidados, internado em uma Unidade Hospitalar.

Outro fato, não menos grave, é a utilização de aparelhos de celular ou câmeras fotográficas dentro das instalações da Maternidade onde se manuseiam pacientes. Pesquisas revelam que telefones carregam 10 vezes mais bactérias do que a maioria dos assentos de banheiro. Um outro estudo encontrou mais de 17 mil genes bacterianos em telefones. Se uma pessoa estiver com alguma doença infecciosa, como uma gripe ou um resfriado, e tossir na mão antes de mexer no celular ou tocar no telefone de um colega, o vírus pode se espalhar rapidamente, contaminando diversos indivíduos, fato que a diretoria da Maternidade tem demonstrado preocupação, no sentido de preservar a saúde dos bebês.

Repercussão na Alepi

O deputado estadual Gustavo Neiva (PSB) se pronunciou acerca do fato no plenário da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi). Na terça-feira (19) Neiva disse que a Saúde do estado “veio a óbito”.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Gustavo NeivaGustavo Neiva

“Essa é uma foto que representa o estado da nossa saúde. A saúde pública do Piauí que já estava em coma, com esse novo fato veio a óbito. A Maternidade já foi interditada pelo Conselho Regional de Medicina e o Ministério Público faz inspeções quase que semanais por lá, ou seja, está sob o foco das autoridades e ainda encontra-se nesse estado de descaso, de abandono? Então por aí imaginamos como anda a saúde no interior do Estado”, afirmou o deputado.