Campo Largo do Piauí - PI

Rômulo Aécio é investigado por usar bens públicos para fazer mansão

A propriedade possui uma piscina e campo de futebol society. Se condenado, o prefeito pode pegar até 12 anos de cadeia.

Gil Sobreira
Teresina
- atualizado

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região está investigando em inquérito policial o prefeito Rômulo Aécio Sousa (MDB), da cidade de Campo Largo do Piauí, acusado de utilizar bens públicos do município, precisamente tratores, caçamba e caminhão-pipa, para beneficiar um terreno de propriedade particular, situado na zona urbana do município.

Os bens foram empregados na construção de uma mansão com piscina e campo de futebol society de propriedade particular do prefeito, que, em tese, cometeu o crime previsto no art.1°, Inciso II, do Decreto Lei 201/67.

A pena para o crime é a de reclusão, de 2 a 12 anos, e multa.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Rômulo Aécio, Prefeito de Campo Largo do PiauíRômulo Aécio, Prefeito de Campo Largo do Piauí

Para o Ministério Público, “o elemento subjetivo do crime está devidamente evidenciado pela ação livre e consciente de utilizar tratores do PAC para atender interesses privados”.

O inquérito tramitou inicialmente no Tribunal de Justiça do Piauí que acolheu a preliminar de incompetência absoluta e determinou o envio do feito a Justiça Federal.

Os autos foram enviados ao TRF1 e autuados em 14 de março deste ano. O relator sorteado foi desembargador federal Mário Cesar Ribeiro que vai relatar o inquérito.

Carta de Ordem foi expedida ontem (13) a Justiça Federal no Piauí para que o prefeito seja notificado da denúncia.

Outro lado

O prefeito Rômulo Aécio não foi localizado pelo GP1.