GP1

Teresina - Piauí

Familiares se despedem e clamam por justiça no enterro de Camilla Abreu

O sepultamento foi realizado no Cemitério São Judas Tadeu, no bairro São Cristóvão, zona leste de Teresina.

Lucas Dias/GP1 1 / 23 MIssa em homenagem à Camilla MIssa em homenagem à Camilla
Lucas Dias/GP1 2 / 23 Irmão de Camilla está inconformado com a morte da estudante Irmão de Camilla está inconformado com a morte da estudante
Lucas Dias/GP1 3 / 23 Familiares e amigos se reúnem no cemitério São Judas Tadeu a espera do corpo de Camilla Familiares e amigos se reúnem no cemitério São Judas Tadeu a espera do corpo de Camilla
Lucas Dias/GP1 4 / 23 Familiares e amigos prestam solidariedade ao pai de Camilla Familiares e amigos prestam solidariedade ao pai de Camilla
Lucas Dias/GP1 5 / 23 Tristeza marca espera do corpo de Camilla no cemitério São Judas Tadeu Tristeza marca espera do corpo de Camilla no cemitério São Judas Tadeu
Lucas Dias/GP1 6 / 23 Jean Carlos, pai de Camilla Jean Carlos, pai de Camilla
Lucas Dias/GP1 7 / 23 Irmão de Camilla Irmão de Camilla
Lucas Dias/GP1 8 / 23 Amigos e familiares aguardam a chegada do corpo de Camilla no cemitério Amigos e familiares aguardam a chegada do corpo de Camilla no cemitério
Lucas Dias/GP1 9 / 23 Avó de Camilla Avó de Camilla
Lucas Dias/GP1 10 / 23 Avô de Camilla Avô de Camilla
Lucas Dias/GP1 11 / 23 Pai de Camilla pede Justiça Pai de Camilla pede Justiça
Lucas Dias/GP1 12 / 23 Cabo Jandeilton Rodrigues, tio de Camilla Cabo Jandeilton Rodrigues, tio de Camilla
Lucas Dias/GP1 13 / 23 Missa é realizada em homenagem à Camilla Missa é realizada em homenagem à Camilla
Lucas Dias/GP1 14 / 23 Avó de Camilla está desolada Avó de Camilla está desolada
Lucas Dias/GP1 15 / 23 Familiares não escondem a tristeza e revolta com a morte de Camilla Familiares não escondem a tristeza e revolta com a morte de Camilla
Lucas Dias/GP1 16 / 23 Corpo de Camilla chega ao cemitério Corpo de Camilla chega ao cemitério
Lucas Dias/GP1 17 / 23 Familiares recebem o corpo de Camilla no cemitério Familiares recebem o corpo de Camilla no cemitério
Lucas Dias/GP1 18 / 23 Camilla foi enterrada no cemitério São Judas Tadeu Camilla foi enterrada no cemitério São Judas Tadeu
Lucas Dias/GP1 19 / 23 Avó de Camilla se desespera com a chegada do corpo da neta Avó de Camilla se desespera com a chegada do corpo da neta
Lucas Dias/GP1 20 / 23 Avô se despede de Camilla Avô se despede de Camilla
Lucas Dias/GP1 21 / 23 Amigas se despedem de Camilla Amigas se despedem de Camilla
Lucas Dias/GP1 22 / 23 Familiares e amigos se despedem da estudante Camilla Abreu Familiares e amigos se despedem da estudante Camilla Abreu
Lucas Dias/GP1 23 / 23 Corpo de Camilla Abreu é sepultado em Teresina Corpo de Camilla Abreu é sepultado em Teresina

Dor, tristeza e revolta marcaram o enterro de Camilla Abreu, na manhã desta quarta-feira (01), no cemitério São Judas Tadeu, na zona leste da Capital. Familiares, amigos e populares deram o último adeus à jovem sob forte comoção. O velório durou cerca de 30 minutos e o caixão não chegou a ser aberto, devido as condições em que o corpo se encontrava.

Camilla Abreu foi encontrada morta no fim da tarde desta terça-feira (31), no povoado Mucuim, após passar cinco dias desaparecida. O principal suspeito de matar a jovem é o namorado, o policial militar Allisson Wattson, que confessou o crime e apontou o local onde estava o corpo da estudante.

Antes do sepultamento de Camilla foi realizada uma missa em homenagem a estudante. O pai de Camilla, Jean Carlos, ainda está muito abalado com o acontecido. “Eu quero que esse caso sirva de exemplo para outros pais. Que eles revejam o relacionamento com seus filhos, porque eu não quero para ninguém o que eu estou sentindo, é muita tristeza”, disse.

“Desde o começo, tudo que ele vem falando é mentira. Ele disse que tinha deixado ela no portão de casa e não deixou. Ele disse que vendeu o carro e não vendeu. Tudo o que ele falou, ele entrou em contradição. É psicopata. No sábado ele ainda chegou na casa da minha mãe chorando, perguntando por ela. Ele é muito frio, nem parece que tem um filho, parece que não tem amor”, completou o pai de Camilla.

O tio da estudante, Jandeilton Rodrigues, que é cabo da Polícia Militar, fez um apelo aos colegas militares. “Eu quero pedir até aos meus amigos militares que não baixem a cabeça, pedir a sociedade que não generalize. Eu sou da instituição e sei que é formada por homens de bem. Esse caso é isolado e repercute muito negativamente o fato de ele ser um policial militar. Muitas pessoas da minha família são militares e nós não temos esse sentimento de revolta, pelo contrário, nós temos é carinho pela instituição. Peço apenas que a Justiça seja feita”, afirmou.

Segundo Jandeilton, o que ele mais quer é que Allisson seja expulso da Polícia Militar. “Eu quero que a Justiça seja feita. Que ele seja expulso. Eu não quero que a sociedade julgue a Polícia Militar, a família não está julgando. Eu sou um policial militar, sei do trabalho que nós temos diariamente. Se as pessoas soubessem o que passamos, valorizariam mais o nosso trabalho”, disse.

Entenda o caso

A estudante de direito, Camilla Abreu, desapareceu na última quinta-feira (26). Ela foi vista pela última vez em um bar no bairro Morada do Sol, na zona leste de Teresina, acompanhada do namorado e capitão da PM, Allisson Wattson. Após o desaparecimento, o capitão ficou incomunicável durante dois dias, retornando apenas na sexta-feira (27) e afirmou não saber do paradeiro da jovem.

  • Foto: Facebook/Camilla AbreuCamilla AbreuCamilla Abreu

A Delegacia de Homicídios, coordenada pelo delegado Barêtta, assumiu as investigações.

O capitão foi visto em um posto de lavagem às margens do Rio Parnaíba, a fim de lavar seu carro sujo de sangue. Allisson disse ao lavador de carros que o sangue era decorrente de pessoas acidentadas que ele havia socorrido.

Na tentativa de ocultar as provas do crime, o capitão trocou o estofado do veículo e tentou vendê-lo na cidade de Campo Maior, mas não conseguiu pelo forte cheiro de sangue que permanecia no carro.

Durante investigação, a polícia quis periciar o carro, mas Allisson disse ter vendido o veículo, mas não lembrava para quem.

No início da manhã desta terça-feira (31), o delegado Francisco Costa, o Barêtta, confirmou a morte da jovem.

Na tarde desta terça-feira (31), Allisson foi preso e indicou onde estava o corpo da estudante.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.