GP1

São Raimundo Nonato - Piauí

Vídeo mostra mulher sendo agredida em São Raimundo Nonato

A Polícia Civil confirmou a veracidade do vídeo e está buscando os envolvidos para investigar o caso.

Uma mulher foi agredida por um homem, identificado pelas iniciais N. A. M, em plena via pública do centro de São Raimundo Nonato, na tarde dessa quarta-feira (20). Um vídeo filmado por populares, flagrou o exato momento da agressão e repercutiu nas redes sociais, gerando revolta.

Nas imagens é possível observar a mulher caindo na rua, onde em seguida, o homem desfere um chute na região da cabeça dela. Após a agressão, o homem é contido por uma segunda mulher, enquanto a vítima atravessa a rua, afastando-se.

Uma mulher foi agredida por um homem em plena via pública, no centro da cidade de São Raimundo Nonato, na tarde dessa quarta-feira (20). Um vídeo filmado por populares, flagrou o exato momento da agressão e repercutiu nas redes sociais, gerando revolta nos piauienses. Polícia Civil do Estado do Piauí #PortalGP1 #GP1 #Teresina

Posted by GP1 - O 1º Grande Portal de Notícias do Piauí on Thursday, October 21, 2021

Diante da repercussão das imagens na internet, o suspeito divulgou áudios em grupos de WhatsApp, em que relata sua versão da ocorrência e tenta justificar as agressões. "Eu estava em um bar, quando essa mulher entrou pertubando o ambiente e eu pedi pra ela sair. Diante da negativa dela, eu a peguei pelo braço e retirei do bar, mas ela retornou jogando pedras e cocos em mim. Pela segunda vez, eu levei ela para fora, mas então ela voltou a jogar objetos em mim, até que eu me zanguei e dei um chute nela. Não me orgulho de ter feito isso, mas ninguém pode me julgar antes de saber o que de fato aconteceu", detalhou.

Ao GP1, a delegada Cynthia Verana, da Polícia Civil de São Raimundo Nonato, confirmou a veracidade do vídeo e informou que tanto o agressor, como a vítima, já foram identificados. No entanto, a mulher não compareceu à delegacia para registrar boletim de ocorrência.

"Até o momento a vítima não compareceu à delegacia para registrar o boletim, inclusive, estranhei devido ao fato do filho dela ser advogado. Pedi para um agente tentar localizá-los, para que a ocorrência fosse registrada, porém, não tivemos êxito em entrar em contato com eles", narrou a delegada.

De acordo com a Polícia Civil, tanto a vítima quanto o homem não se conheciam antes da confusão. Sendo assim, o caso não se enquadra na Lei Maria da Penha, o que causa uma necessidade do registro do Boletim de Ocorrência por parte da vítima, para que as autoridades policias possam tomar providência.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.