GP1

Teresina - Piauí

Crise no transporte: motoristas fazem nova paralisação em Teresina

Os trabalhadores reivindicam a assinatura da convenção coletiva de trabalho por parte do SETUT.

Lucas Dias/GP1 1 / 7 Nova paralisação dos motoristas em Teresina Nova paralisação dos motoristas em Teresina
Lucas Dias/GP1 2 / 7 Ônibus estão parados na Praça da Bandeira em Teresina Ônibus estão parados na Praça da Bandeira em Teresina
Lucas Dias/GP1 3 / 7 Ônibus parados na Praça da Bandeira Ônibus parados na Praça da Bandeira
Lucas Dias/GP1 4 / 7 Motoristas e cobradores em nova paralisação em Teresina Motoristas e cobradores em nova paralisação em Teresina
Lucas Dias/GP1 5 / 7 Ônibus de Timon também estão parados Ônibus de Timon também estão parados
Lucas Dias/GP1 6 / 7 Ajuri Dias, do Sintetro Ajuri Dias, do Sintetro
Lucas Dias/GP1 7 / 7 Maria Elizabete Maria Elizabete

Os motoristas, cobradores e demais funcionários do transporte público de Teresina estão realizando uma nova paralisação nas ruas do centro da capital na manhã desta sexta-feira (22). Os trabalhadores já haviam parado na manhã de quinta-feira (21) e prometem fazer novas paralisações nos próximos dias.

Em entrevista ao GP1, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários no Estado do Piauí (Sintetro-PI), Ajuri Dias, as paralisações estão ocorrendo porque, até o momento, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) não assinou a convenção coletiva de trabalho dos trabalhadores.

“Na realidade o que estamos buscando é fazer com que tenha uma correção a situação que está posta hoje. A prefeitura está pagando parcelas atrasadas de acordos que já tem os valores dos nossos salários, porque tínhamos uma convenção de 2019 que era assinada pelo presidente do Setut e do Sindicato. Agora com esse novo repasse o SETUT tem que assinar a convenção, porque os valores já estão inclusos. Nós não estamos pedindo reajuste de salário, e sim a assinatura da convenção”, declarou o presidente do sindicato.

Os motoristas e cobradores estão reunidos na Praça da Bandeira, mas também há ônibus parados na Praça Saraiva e na Frei Serafim. A manifestação iniciou por volta de 7h30 e tem previsão para encerrar às 10h30. Maria Elizabete, que mora em Timon e está acompanhando uma pessoa em um hospital de Teresina, falou sobre a situação caótica e reclamou do bloqueio a outros ônibus feito pelos manifestantes.

“Está com um bom tempo que estou aqui. Disseram que ia ser liberado 10h, eu entendo o problema deles, estão reivindicando o direito deles, mas nós que somos trabalhadores, que pagamos impostos, que precisamos ir para casa trabalhar e voltar, custava ter a delicadeza deles dar a passagem para a gente que mora em outra cidade, porque está bloqueado. Não estão fazendo a manifestação direito”, declarou.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.