GP1

Parnaíba - Piauí

Mão Santa chama enfermeiros de "vagabundos" e Coren reage

"Nenhuma manifestação de desvalorização e desrespeito à categoria será aceita!”, avisou o Conselho.

O Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) e o Sindicato dos Servidores Públicos de Parnaíba (Sindserm) emitiram notas de repúdio contra as declarações do prefeito de Parnaíba, Mão Santa, que durante entrevista coletiva, na sede da prefeitura, nesta sexta-feira (26), chamou enfermeiros de "vagabundos".

O Coren-PI destacou que a Constituição Federal assegura o direito de greve a todo trabalhador e que o Código de Ética da Enfermagem estabelece que “será respeitado o direito de greve e, nos casos de movimentos reivindicatórios da categoria, deverão ser prestados os cuidados mínimos que garantam uma assistência segura, conforme a complexidade do paciente”.

“Diante do ocorrido, informamos que tomaremos as providências cabíveis. Nenhuma manifestação de desvalorização e desrespeito à categoria será aceita!”, avisou o conselho.

O Sindserm classificou as palavras do prefeito como “indizíveis” a qualquer ser humano e que eles não são “vagabundos”, “baderneiros” e nem “desocupados”, mas sim servidores efetivos do povo.

Outro lado

Em nota, a Superintendência Municipal de Comunicação de Parnaíba informou que o prefeito Mão Santa se referiu “exclusivamente aos servidores que não cumprem seus expedientes como deveriam”.

Confira abaixo a nota na íntegra:

Sobre a entrevista coletiva concedida na manhã desta sexta-feira (26), a Superintendência Municipal de Comunicação de Parnaíba vem a esclarecer que o prefeito Mão Santa se referiu exclusivamente a servidores que não cumprem seus expedientes como deveriam, como fica claro dentro do que foi mencionado. Mão Santa afirmou a necessidade de que os servidores de todas as áreas trabalhem em prol da população.

Não se trata também de nenhuma referência direta aos servidores da saúde cuja a recente greve foi considerada ilegal por decisão obtida no Tribunal de Justiça do Piauí. Neste caso, o prefeito somente deixou claro que aqueles que não retornarem aos seus postos de trabalho conforme decisão judicial terão seus pontos devidamente cortados.

Ainda sobre saúde pública, o prefeito Mão Santa reafirma o caráter fundamental da mesma na vida de todos os cidadãos e seu compromisso com a prestação de um serviço de qualidade pelo município. Por isso é necessário que os profissionais estejam nas unidades para que nenhuma pessoa deixe de ser atendida.

O prefeito também ressaltou que o quadro da administração municipal é composto, em sua extensa maioria, por profissionais que contribuem com excelência, amor e dedicação ao município.

Supcom

Entenda o caso

Durante entrevista coletiva em seu gabinete, Mão Santa chamou os profissionais da enfermagem que estão em greve de “moleques” e “vagabundos”, além de afirmar que vai cortar os pontos daqueles que estão participando do movimento.

“Não tem greve nenhuma, tem uns moleques, uns vagabundos. Tá tudo funcionando. Quem não quer trabalhar, vou cortar. Onde está a greve? O governo é muito forte. Eles viviam aqui gritando, esculhambando. Cadê, você viu algum grito agora?”, declarou o prefeito Mão Santa.

O município de Parnaíba possui 100 profissionais de enfermagem e 50 de odontologia que aderiram à greve na última terça-feira (24). Eles cobram o retorno da gratificação de combate à covid-19 e o pagamento para quem não recebia; a recomposição salarial constando na Lei Orçamentária Anual (LOA) que será votada no próximo mês na Câmara Municipal e que não está no projeto; e a reformulação do plano de cargos, carreiras e vencimentos dos profissionais da saúde.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.