GP1

Teresina - Piauí

Após assembleia, motoristas de ônibus decidem continuar greve em Teresina

A categoria de motoristas e cobradores de ônibus reivindica a realização de acordo coletivo ano 2021.

Há mais de um mês em greve, a situação entre os motoristas e cobradores de ônibus e o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Sintetro), não chegou a um acordo. Na sexta-feira (12), houve uma audiência pública entre as partes, mediada pelo Tribunal Regional de Trabalho (TRT). Já discussão sobre o retorno ou não das atividades aconteceu na manhã dessa segunda-feira (15), com a categoria.

Em entrevista ao GP1, o presidente do Sintetro afirmou que as atividades não voltarão. “O Sintetro não concorda com a proposta, os trabalhadores recusaram em assembleia”, explicou Ajuri Dias.

Foto: Lucas Dias/GP1Ajuri Dias
Ajuri Dias

De acordo com o presidente, os trabalhadores apenas comunicarão o Tribunal sobre o não retorno das atividades.

O que a categoria reivindica

A categoria de motoristas e cobradores de ônibus reivindica a realização de acordo coletivo ano 2021, a manutenção do salário no valor de R$ 2.028,00, pois estava sendo pago R$ 1.941,00 e cobram ainda a reposição de benefícios que os trabalhadores alegam terem sido retirados durante a pandemia de covid-19.

O que diz o Setut

Em nota, o Setut informou que aceitou a proposta do TRT e que aguarda apenas um posicionamento do Sintetro sobre o caso.

Confira a nota na íntegra:

O Setut informa que aceitou a proposta apresentada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) realizada em audiência nesta sexta-feira, dia 12. Dentre as propostas estão o retorno imediato do sistema de transporte para segunda-feira (15), suspensão do movimento por 120 dias, pagamento de salário de janeiro até quinta-feira, dia 18, após o repasse da Prefeitura referente ao acordo firmado com as empresas. Além disso, o mês de fevereiro ficará para discussão no dissídio da greve.

Diante da proposição do TRT, o Sintetro ficou de analisar o que foi decidido e dará sua resposta na segunda-feira após audiência com os trabalhadores.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.