GP1

Piauí

Juiz arquiva inquérito de homicídio no bairro Piçarreira em Teresina

A decisão foi dada no último dia 12 de abril. A vítima foi assassinada na porta de casa com 2 tiros.

O juiz Valdemir Ferreira Santos, da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina, determinou o arquivamento do inquérito que investigava o assassinato de Gildeilson Ribeiro Saboia, de 31 anos, que foi morto a tiros no dia 26 de julho de 2017, na porta de sua residência, no bairro Piçarreira I, zona leste de Teresina. A decisão foi dada no último dia 12 de abril.

Nos autos, o magistrado destacou que o arquivamento ocorreu devido a manifestação do Ministério Público, que alegou não ter como ofertar denúncia porque o autor do crime não foi identificado.

“Considerando que é impossível a oferta de denúncia contra desconhecido e que, aparentemente, foram esgotadas todas as possibilidades de diligências no sentido de identificar a autoria do delito noticiado nestes autos, não resta a esta Promotoria de Justiça nenhuma alternativa, senão opinar pelo arquivamento do presente feito, na forma da lei, o que de fato o faz, até que se tenha, eventualmente, algum fato novo”, destacou o Ministério Público.

Relembre o caso

Gildeilson Ribeiro Saboia, de 31 anos, foi assassinado com pelo menos dois disparos de arma de fogo. A vítima foi executada na porta da própria residência, localizada no bairro Piçarreira I, zona leste de Teresina.

De acordo com informações do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), foram encontradas duas perfurações no corpo de Gildeilson, no braço esquerdo, inclusive uma delas quebrou o braço.

A vítima foi alvejada por três homens que estavam em motocicletas, e não foram identificados. Após ser baleado, Gildeilson Ribeiro foi socorrido por um vizinho e levado para o Hospital Satélite, mas não resistiu e acabou morrendo.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.