GP1

Teresina - Piauí

Filho autista de Felipe Holanda chora ausência do pai: “que dia que ele vai vir?”

Segundo Ioneide Gomes, cunhada de Felipe, quem mais está sofrendo com a tragédia é a criança.

A cunhada de Felipe Holanda, Ioneide Gomes, relatou em entrevista à imprensa na manhã desta segunda-feira (01), como encontrou a casa onde aconteceu a tragédia familiar que deixou Felipe e Daniel Flaubert mortos e Juliana da Silva gravemente ferida no bairro São Pedro, zona sul de Teresina. Segundo Ioneide, sem entender o que aconteceu, o filho de Felipe, de apenas 4 anos, já sente a falta do pai.

Ioneide relatou que alguém ligou do celular de sua irmã Antônia, esposa de Felipe Holanda, para que ela fosse até a casa onde aconteceu a tragédia na manhã do último sábado (30). “Alguém pegou o telefone dela [Antônia] e me ligou avisando para dar suporte no dia do acidente, que foi no sábado. Eu acompanhei o Daniel até o HUT, o Felipe, a Juliana, fiz as fichas, acompanhei ela, ela [Antônia] surtou lá mesmo no HUT. Como o Felipe já tinha ido para o centro cirúrgico, a Juliana já estava entubada e o Daniel em atendimento, eu dei foco mesmo só para ela [Antônia]. Eu a tirei do HUT, trouxe para casa, dei banho nela, dopei ela e ela ficou dormindo alguns momentos”, relatou Ioneide.

Foto: Brunno Suênio/GP1Casa onde aconteceu a tragédia familiar no bairro São Pedro
Casa onde aconteceu a tragédia familiar no bairro São Pedro

Segundo Ioneide, Antônia ainda tentou falar com o marido, no entanto, pouco tempo antes do encontro acontecer, Felipe Holanda foi a óbito. “Na tarde de sábado a gente foi para o HUT, como ela é enfermeira e ela tem acesso lá e a gente entrou. O médico ia dar oportunidade para ela falar com o Felipe, só que ele teve paradas cardíacas e foi a óbito. Depois disso ela surtou novamente e voltamos para casa”, narrou a cunhada de Felipe Holanda.

“Sem reação”

Ioneide Gomes contou que ao chegar na casa e se deparar com Felipe, Daniel e Juliana baleados, ficou sem reação e sem entender o que de fato estava acontecendo. “Tinha tanta gente e eu nunca tinha presenciado uma cena daquelas. Então ali para mim, na minha capacidade mental, fiquei sem reação, sem entender o que estava realmente acontecendo”, contou Ioneide.

Foto: ReproduçãoDaniel Flauberth, Felipe Holanda e Juliana da Silva
Daniel Flauberth, Felipe Holanda e Juliana da Silva

A cunhada de Felipe disse que sua maior preocupação era com a irmã e com o sobrinho, de apenas 4 anos, que estava na casa no momento em que a tragédia aconteceu. “Minha preocupação era só ela e o filhinho dela. Até então eu nem sabia onde é que o filho dela estava e ela estava surtando. Foi aquela turbulência, eu fiquei muito abalada”, pontuou Ioneide Gomes.

Filho chama pelo pai

Conforme Ioneide, a irmã está bem abalada, e seu sobrinho, de 4 anos, chama o tempo todo pelo pai. “A minha irmã ainda está ruim. O menino é muito inteligente, ele é um ser incrível e está brincando com minhas duas sobrinhas. Ele passou a noite perguntando: ‘mamãe eu quero meu papai, mamãe eu quero meu papai, que dia que ele vai vir?’. Mas eu já conversei com ele, disse que ele está dormindo com o senhor Jesus, está na glória, que ele vai ver ele mais tarde, quando for o momento certo”, afirmou Ioneide.

“Amoroso”

Apesar de toda a tragédia, Ioneide afirmou que a lembrança que tem do cunhado é que ele era uma pessoa amorosa e que não imaginava que algo tão ruim pudesse acontecer com ele. “O Felipe era amoroso, carinhoso, muito inteligente, dedicado em tudo que fazia, um homem do senhor Deus. São essas lembranças que eu tenho. Para mim, ver ele no chão, daquela forma, foi surreal. Nunca tinha presenciado nada daquela forma”, lamentou Ioneide.

Estado de saúde de Juliana da Silva

Ioneide Gomes explicou também que Juliana da Silva, que é cunhada da esposa de Felipe, está em estado grave, porém estável no HUT. “A Juliana é minha cunhada. O estado dela é grave. Ela perdeu massa encefálica, o tiro foi na cabeça, o cérebro dela está muito inchado e não fizeram nenhum procedimento cirúrgico ainda. Está do mesmo jeito, não teve nem piora e nem melhora. Ela era doméstica, estava prestando serviço quando tudo aconteceu”, disse Ioneide.

Ioneide disse ainda que espera que Juliana sobreviva e que ela seja um milagre no meio de toda essa tragédia que acometeu sua família. “A Juliana é de confiança, um ser muito abençoado. Eu acredito que o senhor Deus vai fazer um milagre sobre a vida dela. De toda essa tragédia toda ela vai ser o milagre. Eu creio, até porque ela tem duas filhas, as filhas dela precisam dela. É uma situação que eu não desejo para ninguém, é uma situação horrível”, finalizou Ioneide Gomes.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.