GP1

Piauí

Juiz manda soltar acusado de tentar aplicar golpe no Santander em Teresina

Nos autos, o juiz Ermano Chaves Portela Martins destacou que apesar dos fatos ocorridos, a ação do acusado não necessita da prisão preventiva.

O juiz Ermano Chaves Portela Martins, da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina, concedeu liberdade a Roberto Nepomuceno Dias, acusado de tentativa de estelionato na agência bancária do Santander, situada no Centro de Teresina. A decisão foi dada na quinta-feira (09).

Nos autos, o magistrado destacou que apesar dos fatos ocorridos, a ação do acusado não necessita da prisão preventiva. “Resta evidenciado que, apesar dos fatos ocorridos, os supostos atos penais praticados pelo autuado não requerem a decretação de uma eventual prisão preventiva”, apontou nos autos.

Com isso, o juiz concedeu soltura de Roberto Nepomuceno e determinou a aplicação de medidas cautelares como comparecer a cada dois meses no Núcleo de Atenção ao Preso Provisório, a todos os atos processuais e ficar proibido de frequentar bares e boates.

Prisão e crime

O homem utilizava documentos falsos e se identificava como Rivaldo Mendes Feitosa, porém seu verdadeiro nome é Roberto Nepomuceno Dias. De acordo com o delegado Sérgio Alencar, titular do 1º DP, o homem foi preso após tentar aplicar o golpe na instituição bancária.

“Após ser constatada a fraude, o acusado foi preso dentro do Santander localizado na região central da capital, enquanto tentava fazer um empréstimo com os documentos falsos”, relatou o delegado de Polícia Civil.

Ainda segundo o delegado, além do flagrante, foi dado cumprimento ao mandado de prisão contra o suspeito, no qual é acusado de furto qualificado em uma clínica também situada no Centro de Teresina, em outubro de 2019.

NOTÍCIA RELACIONADA

Homem é preso ao tentar aplicar golpe no banco Santander em Teresina

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.