GP1

Piauí

Caso Donizetti Adalto: Djalma contrata novo advogado para julgamento

A tendência é que seja solicitado novo adiamento para que a defesa possa estudar o processo.

O ex-vereador de Teresina, Djalma da Costa e Silva Filho, mais conhecido como “Djalma Filho”, acusado de ser o mandante do assassinato do jornalista Donizetti Adalto, constituiu novo advogado para promover sua defesa perante o Tribunal Popular do Júri, no julgamento remarcado para a próxima sexta-feira (29).

Inicialmente designada para o dia 25 deste mês, a sessão de julgamento foi adiada pelo juiz Antônio Reis de Jesus Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal do Popular do Júri, por ausência de advogado de defesa do ex-vereador, uma vez que houve renúncia dos que haviam sido constituídos.

Foto: FacebookDjalma Filho
Djalma Filho

O advogado criminalista Lúcio Tadeu Ribeiro dos Santos e sua equipe foram habilitados através de petição juntada ontem (25) aos autos. A tendência é que seja solicitado novo adiamento para que a defesa possa estudar o processo.

Acusação

Segundo a acusação do Ministério Público, baseada em inquérito policial proveniente do 2º Distrito Policial, o jornalista foi morto em uma emboscada, no dia 19 de setembro de 1998, quando foram desferidos vários tiros à queima roupa contra Donizetti que, ainda agonizando, foi torturado, o que lhe causou traumatismo nas unidades dentárias.

O ex-vereador Djalma Filho foi pronunciado por homicídio triplamente qualificado: motivo fútil, meio cruel e a emboscada. O crime é considerado hediondo.

Caso seja condenado pelo Tribunal Popular do Júri, o ex-vereador Djalma Filho poderá pegar até 30 anos de cadeia.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.