GP1

Saúde

Covid-19: vacinação no Piauí deve iniciar ainda nesta segunda

“Fica combinado então, a gente distribui tudo hoje e começa hoje ao final do dia entre 17h e 17h30”, disse o ministro Eduardo Pazuello.

A vacinação contra a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, deve iniciar ainda nesta segunda-feira (18), às 17 horas, em todo o Brasil. A informação foi divulgada pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante solenidade de entrega simbólica das doses da vacina Coronavac, em Guarulhos.

“Fica combinado então, a gente distribui tudo hoje e começa hoje ao final do dia entre 17h e 17h30”, disse o ministro que explicou que o horário de 17h para o início da vacinação nacional foi proposto para dar tempo de todos os estados receberem as doses da Coronavac, vacina do Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

Foto: Reprodução/InstagramGovernador Wellington Dias
Governador Wellington Dias

O governador Wellington Dias esteve presente e recebeu mais de 61 mil doses para o estado.

Em vídeo, no Centro de Distribuição do Ministério da Saúde, o secretário de Saúde do Piauí, Florentino Neto, disse que as doses serão recebidas até o final da tarde de hoje e que elas serão enviadas para as regionais e municípios para que seja iniciada a vacinação.

Na sua página no Twitter, Wellington garantiu que a vacinação vai começar assim que as vacinas chegarem ao estado. "Temos vacina! É um momento histórico, piauienses. É só o começo de uma caminhada que vamos vencer juntos, com a ajuda da ciência e de todos aqueles que lutaram contra a pandemia durante quase um ano no Brasil. Assim que chegar ao nosso estado iremos começar imediatamente a vacinação. Uma luta que valeu a pena e vai beneficiar todos os brasileiros!", escreveu.

Uso emergencial aprovado

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, na tarde deste domingo (17), por unanimidade, o uso emergencial da Coronavac e da vacina de Oxford/AstraZeneca.

A reunião extraordinária que teve início às 10h10 e terminou às 15h20, contou com a votação de cinco diretores: Meiruze Sousa Freitas (relatora); Antonio Barra Torres (diretor-presidente); Cristiane Rose Jourdan Gomes (médica e bacharel em direito); Romison Rodrigues Mota - substituto (servidor da Anvisa); e Alex Machado Campos (advogado).

A diretora da Anvisa e relatora, Meiruze Freitas, votou pela aprovação e destacou que é preciso que o Instituto Butantan assine um termo de compromisso para apresentar dados de imunogenicidade da vacina até 28 de fevereiro (os relatórios sobre o tema foram considerados insuficientes). O termo assinado deve ser publicado em Diário Oficial para que a autorização seja válida.

Já a decisão sobre a vacina de Oxford vale apenas para o uso das 2 milhões de doses que o governo ainda tenta importar da Índia. A decisão valeria após a publicação de extrato ou "ciência oficial" via ofício.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.