GP1

Saúde

Covid-19: Wellington Dias rebate Arthur Lira e diz que faltam vacinas

A manifestação do governador aconteceu depois que Lira questionou a quantidade de doses aplicadas no Brasil.

O governador Wellington Dias, presidente do Consórcio Nordeste e do Fórum Nacional de Governadores, gravou um vídeo explicando sobre a quantidade de vacinas distribuídas aos estados e número de pessoas vacinadas contra a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

A manifestação do governador aconteceu depois que o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, questionou, em coletiva de imprensa, nessa quarta-feira (31), a quantidade de doses aplicadas no Brasil. “Nós temos que prestar atenção em um dado: por que o Brasil distribuiu 34 milhões de doses de vacina e nós só temos 18 milhões de doses aplicadas?”, perguntou.

“O real problema brasileiro é que entramos atrasados na vacinação e falta vacina. Ainda tá pouco o número de vacinas”, disse Wellington Dias.

Wellington Dias explicou ainda sobre a quantidade de vacinas distribuídas, as aplicadas e as que são de reserva. “Se a gente somar todas as vacinas já entregues aos estados e municípios no Brasil, são 33,6 milhões doses, 16,9 milhões foram aplicadas de 1ª dose, 4,9 milhões de 2ª dose, 5,2 milhões aproximadamente é a reserva da segunda dose da Coronavac, que tem que tá lá para na hora que chegar a vez da pessoa completar o tempo de vacinação, porque o tempo é curo. 600 mil são de uma reserva técnica de 5% que tem em estoque pra uma situação em que faltou energia e deu problema na vacina, para poder substituir rapidamente”, relatou.

“Quando a gente soma tudo isso são 27,6 milhões, então, qual a diferença que falta? 6 milhões de doses aproximadamente, isso foi o que a gente acabou de distribuir do Butantã e da Fiocruz, o problema mesmo é falta de vacina”, completou o governador.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.