GP1

Municípios vão gastar fortunas com combustíveis em plena pandemia no Piauí

Um exemplo é Santo Antônio dos Milagres, que é o 2º menor município em número de habitantes e pretende gastar R$ 902 mil em combustíveis.

Nesta sexta-feira (26), a Prefeitura de Santo Antônio dos Milagres vai realizar licitação para a compra de combustíveis, algo normal dentro da administração pública se não fosse por dois detalhes: o valor e o fato de estarmos em plena pandemia da covid-19!

O prefeito Paulo Cazimiro pretende pagar R$ 902 mil em combustíveis para um município que, segundo o IBGE, possui 32,668 km², sendo o menor município do estado em área territorial, além de ser o 2º menor em população com 2.059 habitantes.

Parece que o prefeito se 'inspirou' em outros municípios pequenos, que assim como Santo Antônio dos Milagres, vão gastar altos valores na compra de combustíveis. São eles: São João da Varjota (prefeito José dos Santos Barbosa), São João da Fronteira (prefeito Antônio Erivan Rodrigues Fernandes), Fartura do Piauí (prefeito Orlando Costa Campinho Braga) e Guaribas (prefeito Joercio Matias de Andrade).

São João da Varjota

A licitação de São João da Varjota, que tem 4.651 habitantes, vai contratar R$ 1.414.290,00 em combustíveis, lubrificantes e outros derivados de petróleo para abastecimento de poços tubulares e veículos automotores da prefeitura e das secretarias.

São João da Fronteira

Com 5.608 habitantes e o 2º município mais pobre do estado com renda per capita de R$ 6.284,98, a prefeitura de São João da Fronteira vai gastar R$ 1.273.008,00 na aquisição de combustíveis e derivados.

Guaribas

Já o município de Guaribas que tem 4.401 habitantes pretende pagar R$ 998.803,00.

Fartura do Piauí

Fartura do Piauí, que tem 5.074 habitantes e é município mais pobre do Piauí com renda per capita de R$ 5.772,83, de acordo com o IBGE, vai contratar R$ 1.117.236,84 para aquisição parcelada de combustíveis, lubrificantes, filtros de ar e combustível, óleos hidráulicos, de freios, estopa de limpeza, gás liquefeito de petróleo e água mineral, para atender a demanda das secretarias de Administração, Saúde, Educação e Assistência Social do município.

Ao fazer a comparação entre esses municípios e um que está entre os 15 mais populosos do estado, como é o caso de São Raimundo Nonato, é que a gente perceber que os valores são abusivos. Pois, com 32.327 pessoas, a prefeita de São Raimundo Nonato, Carmelita Castro, vai gastar R$ 2.518.900,00 na aquisição parcelada de combustível.

Todas as licitações estão escancaradas no sistema do Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI)!

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.