GP1

Brasil

Polícia busca pistas do agressor da procuradora Gabriela Samadello

Com prisão preventiva decretada desde esta quarta-feira 22, Demétrius Oliveira ainda não foi localizado.
Por Estadão Conteúdo

A Polícia continua, na manhã desta quinta-feira, 23, a busca pelo procurador municipal de Registro, no Vale do Ribeira, Demétrius Oliveira de Macedo alvo de mandado de prisão preventiva por ter espancado a procuradora-geral da cidade, Gabriela Samadello Monteiro de Barros, dentro da prefeitura.

A prisão foi decretada pelo juiz Raphael Ernane Neves, da 1.ª Vara da Comarca de Registro, e atendeu a um pedido do delegado Daniel Vaz Rocha, do 1º Distrito Policial de Registro.

Ao representar contra o procurador do município, Rocha sustentou que Demetrius ‘vem tendo sérios problemas de relacionamento com mulheres no ambiente de trabalho, sendo que, em liberdade, expõe a perigo a vida delas, e consequentemente, a ordem pública’.

O inquérito policial instaurado para apurar o caso reuniu fotos e vídeos da agressão, além de depoimento da procuradora-geral, para fundamentar o pedido de prisão preventiva, informou o governo do Estado.

Como mostrou o Estadão, partiu do Ouvidor das Polícias de São Paulo, Elizeu Soares Lopes, a requisição para prender o promotor municipal. Ele disse que a medida é necessária para “salvaguardar o direito da vítima”.

Logo em seguida, o governador Rodrigo Garcia afirmou que o caso “não ficará impune”. “Que a Justiça faça a sua parte e puna todo e qualquer covarde que agrida uma mulher”, escreveu em seu perfil no Twitter.

O Ministério Público de São Paulo designou dois promotores de Justiça de Registro para acompanhar os desdobramentos.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.