GP1

Distrito Federal

Juiz não vê crime em capa de revista que associou Bolsonaro a Hitler

O Ministério da Justiça tentou emplacar um inquérito contra a revista Istoé, mas a Justiça negou.

O juiz Frederico Botelho de Barros Viana, da 10ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal, decidiu que a capa da revista Istoé, que associou o presidente Jair Bolsonaro a Adolf Hitler, não é criminosa.

Segundo a revista Oeste, o Ministério da Justiça tentava emplacar um inquérito para investigar irregularidades cometidas pela publicação contra Bolsonaro, mas o magistrado arquivou o pedido.

“Não se verifica a existência de qualquer indício, mínimo que seja, a justificar a existência de procedimento investigatório”, disse o juiz.

Essa edição da revista Istoé, noticiava alegações feitas pelo senador Renan Calheiros, em uma sessão na Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19, onde ele comparou práticas de Bolsonaro a experimentos de Hitler.

Bolsonaro e Hitler

Na capa da edição, a revista retratou Bolsonaro com a palavra “genocida” escrita sobre o lábio superior, como se fosse o bigode característico de Hitler. O título da capa informa: “As práticas abomináveis do mercador da morte”.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.