Teresina - PI

Adolescente de 12 anos é acusado de atirar em travesti em Teresina

Uma segundo pessoa também está sendo investigada por envolvimento na ação criminosa.

Davi Fernandes
Teresina
- atualizado

A Polícia Civil está investigando a participação de um adolescente de 12 anos na tentativa de homicídio contra a travesti Mikaela, que foi encontrada caída em frente ao quartel do Corpo de Bombeiros, com um tiro no olho, no último sábado (02), na Avenida Miguel Rosa. Uma segundo pessoa também está sendo investigada por envolvimento na ação criminosa.

Conforme o coordenador do Grupo de Apoio Operacional (Gao), Joatan Gonçalves, as investigações apontam que as duas pessoas estavam juntas com a vítima no momento do crime. A polícia trabalha com duas hipóteses: ou que o disparo possa ter sido resultado de uma brincadeira, ou que o crime seja relacionado a homofobia.

  • Foto: Brunno Suênio/GP1Joatan GonçalvesJoatan Gonçalves

“Estamos investigando a participação de duas pessoas . No momento, acreditamos que tenha participado um adolescente de aproximadamente 12 anos. Queremos somente conseguir provas sobre o vínculo dele com o crime. Seguimos investigando o caso, que pode ter ocorrido com uma brincadeira ou pode estar ligado a crime de homofobia, essas hipóteses estão sendo levantadas e não podem ser descartadas. Também podemos adiantar que as investigações apontam que o crime não ocorreu nas proximidades do Corpo de Bombeiros e sim no bairro Ilhotas”, informou o coordenador do Gao.

Ainda de acordo com Joatan, ele esteve na manhã desta quarta-feira (06) no Hospital de Urgência de Teresina, onde a vítima segue internada para poder pegar seu depoimento, porém Mikaela estava no centro cirúrgico do hospital.

“A gente não pode conversar com a vítima ainda, porque ela já tinha ido para o centro cirúrgico e devido a isso não foi possível obter mais informações”, finalizou Joatan.

Familiares pedem ajuda

A família da travesti Mikaela, está precisando de ajuda para comprar materiais de higiene pessoal para ela. Mikaela se encontra internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Urgência de Teresina (HUT). A travesti de 25 anos, que foi registrada ao nascer como Mikael Cássio de Oliveira Monteiro, é usuária de drogas e alcoólatra. Atualmente, ela não morava mais com a família. Camila ressaltou que Mikaela está precisando, principalmente de fraldas e sabonete líquido. Os interessados em ajudar poderão deixar os materiais no HUT ou entrar em contato com a família pelo número (86) 9 9835-0052.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Travesti é encontrada com tiro no rosto no bairro Piçarra

Travesti baleada precisa de materiais de higiene pessoal no HUT