Política

Assis Carvalho diz que é contra a ida de Fábio Novo para Secult

"Eu disse para o governador que se dependesse da minha vontade nenhum parlamentar seria chamado", disse o deputado federal.

Germana Chaves
Teresina
Bárbara Rodrigues
Teresina
- atualizado

Em entrevista ao GP1 na última sexta-feira (17), o deputado federal Assis Carvalho (PT) revelou que é contra a convocação de deputados para assumirem secretarias. Ele afirmou inclusive, que se dependesse de sua decisão o deputado estadual Fábio Novo (PT) jamais deixaria a Assembleia Legislativa para ocupar a Secretaria da Cultura do Piauí (Secult).

“Eu tenho o Fábio Novo como uma das maiores intelectualidades do Piauí e eu sou a favor de que ele fique no parlamento. Eu disse para o governador que se dependesse da minha vontade nenhum parlamentar seria chamado, porque eu acho que você foi eleito para estar no parlamento discutindo a sua força parlamentar”, disparou o petista.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Assis CarvalhoAssis Carvalho

Assis lembrou dos gastos que a convocação de um deputado causa para os cofres públicos do Estado. “Quando você acomoda um parlamentar, você praticamente paga dois gabinetes. Um gabinete no executivo e ou no legislativo. Eu acho que isso não seria o melhor caminho. O parlamentar que permanece no parlamento merece o meu aplauso. Eu não tenho razão nenhuma para estimular que outros saiam, mas quem define é o parlamentar e o governador”, ponderou o deputado federal.

Assis Carvalho também ressaltou a importância dos suplentes e sugeriu que estes sejam chamados para ocupar cargos no Executivo. “Os suplentes são valorosos e eu defendo que eles podem ser acolhidos no governo no lugar dos parlamentares”, finalizou ele.

Conversa

A ida de Novo para a Cultura está sendo cogitada para poder reacomodar o deputado estadual Júlio Arcoverde (PP) que deixou a Secretaria de Esportes de Teresina (Semel). O problema é que o progressista quer fazer essa transição sem prejudicar o mandato da suplente de seu partido Belê Medeiros que assumiu recentemente o mandato. Mas, para que isso seja feito será necessário remanejar mais um parlamentar para cargo no Executivo, o que tem desagrado aqueles que poderão ser atingidos.

Além de Novo, o nome do deputado Flávio Júnior (PDT) chegou a ser lembrado para a pasta do Turismo. No entanto, ele descartou a possibilidade em recente entrevista à imprensa.

NOTÍCIA RELACIONADA

Wellington Dias e Fábio Novo adiam reunião para segunda-feira

Mais conteúdo sobre: