Brasil

Bolsonaro diz que troca mensagens de 'cunho pessoal' no WhatsApp

Em redes sociais, presidente afirmou que 'qualquer ilação fora desse contexto são tentativas rasteiras de tumultuar a República'.

Por  Estadão Conteúdo

O presidente Jair Bolsonaro se manifestou nesta quarta-feira, 26, pelas redes sociais, sobre o vídeo que disparou de seu celular pessoal, via aplicativo WhatsApp, convocando apoiadores a irem às ruas no dia 15 de março para defendê-lo. Sem citar o vídeo, Bolsonaro diz que "troca mensagens de cunho pessoal, de forma reservada". "Qualquer ilação fora desse contexto são tentativas rasteiras de tumultuar a República", afirmou no texto.

A convocação feita por Bolsonaro para as manifestações contra o Congresso gerou reações no mundo político e nas redes sociais na terça-feira, 25. "Estamos com uma crise institucional de consequências gravíssimas", afirmou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso no Twitter.

O vídeo, em tom dramático, mostra a facada que o então candidato à Presidência sofreu em Juiz de Fora (MG) em setembro de 2018 para mostra que Bolsonaro "quase morreu" para defender o País. Agora, segundo a narrativa, o presidente precisa que as pessoas vão às ruas para defendê-lo. Juntamente com o vídeo, o presidente escreve: "- 15 de março/Gen Heleno/Cap Bolsonaro/O Brasil é nosso, não dos políticos de sempre.”

O presidente já enviou pelo menos dois vídeos com imagens e sobreposição de fotos suas, convocando a população a sair às ruas no dia 15 de março. Os vídeos têm trechos idênticos, como a frase que classifica Bolsonaro como um presidente "cristão, patriota, capaz, justo e incorruptível".

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Regina Duarte também convoca população para manifestação contra o Congresso

Bolsonaro compartilha vídeos defendendo manifestação anti-Congresso

Mais conteúdo sobre: