Teresina - PI

Radiologista baleado por policial no Buenos Aires está em estado grave

Rudson Vieira Batista da Silva, de 32 anos, foi baleado na noite desse domingo (01), durante um desentendimento com um policial militar em um bar no Buenos Aires, zona norte de Teresina.

Fábio Wellington
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
- atualizado

O estado de saúde do radiologista Rudson Vieira Batista da Silva, de 32 anos, que foi baleado na noite desse domingo (01), durante um desentendimento com um policial militar em um bar no Buenos Aires, zona norte de Teresina, é grave, porém estável. Rudson está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Marcos, com a bala alojada na região das costas.

Em entrevista ao GP1, na noite desta segunda-feira (02), o irmão da vítima, João Neto, informou que Rudson foi atingido no pescoço e o projétil da pistola .40 ficou alojado na clavícula, no entanto, parte do pulmão foi preenchido por sangue e ele pode apresentar sequelas.

“O cara atirou de cima para baixo, a bala entrou pelo pescoço, o projétil atravessou a clavícula e está nas costas. O sangramento que ele teve entrou no pulmão e foi preciso retirar quase 600 ml de sangue. A bala passou próximo à medula, que está inflamada, e não sabemos que tipo de sequelas ele vai ter. O estado dele ainda é grave, é tão tal que está na UTI”, relatou João Batista.

O crime

O irmão de Rudson Vieira relatou que o policial militar identificado como Max Kellysson teria assediado uma mulher que estava acompanhada de seu primo e quando o radiologista tentou repreender o PM, a vítima foi atingida. João Neto reforçou que não houve discussão entre os dois. “O policial estava assediando uma moça que estava com meu primo, o PM estava alterado e o meu irmão foi querer separar. O ‘cara’ sacou a arma e deu o tiro nele à queima-roupa”, acrescentou.

Policial militar foi solto

O juiz de direito da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina, Jorge Cley Martins Vieira, concedeu liberdade provisória, durante audiência de custódia na manhã de hoje, ao policial militar Max Kellysson Marques Marreiros, suspeito de tentar matar o radiologista Rudson Vieira Batista da Silva, de 32 anos, na noite desse domingo (01) em uma casa de eventos localizada no bairro Buenos Aires, zona norte de Teresina.

Na decisão, o magistrado afirmou que “em liberdade, o autuado não coloca em risco a ordem pública ou a instrução processual penal. As particularidades do caso demonstram a suficiência, adequação e proporcionalidade da imposição das medidas menos severas previstas no art. 319, em atenção ao preceito de progressividade das cautelas disposto no art. 282, §§ 4º e 6º, todos do Código de Processo Penal”, diz trecho da decisão.

O policial militar deverá comparecer em juízo bimestralmente à Central Integrada de Alternativas Penais para informar e justificar suas atividades; se fazer presente a todos os atos processuais para os quais for intimado, além disso ele não poderá deixar Teresina por mais de 15 dias sem prévia autorização, nem mudar de residência sem prévia comunicação ao juízo e está proibido de frequentar bares, boates e similares.

Testemunhas serão ouvidas nesta terça-feira

Nesta terça-feira (02) as testemunhas do caso serão ouvidas pelo delegado titular do 9º Distrito Policial para relatar a ocorrência, a fim de auxiliar as informações que serão acrescentadas ao inquérito policial.

Polícia Militar do Piauí divulgou nota

Em nota divulgada nesta segunda-feira (02), a Polícia Militar confirmou que o policial atirou contra o radiologista.

NOTA À IMPRENSA

A Polícia Militar do Estado do Piauí informa que um Policial Militar se envolveu em uma ocorrência no bar "Boteco do Gil", localizado no bairro Buenos Aires, onde após um desentendimento, efetuou um disparo de arma de fogo contra uma pessoa, lesionando-o no ombro. O autor foi detido por seguranças do bar, sendo em seguida conduzido pelo Coordenador de Policiamento do 9° Batalhão à Central de Flagrantes, onde foi autuado e posteriormente encaminhado ao presídio militar, onde ficará à disposição da Justiça.

Teresina, PI, 02 de dezembro de 2019.

ELZA Rodrigues Ferreira - Ten Cel PM Diretora de Comunicação Social da PMPI

NOTÍCIA RELACIONADA

Policial é preso após atirar em homem dentro de bar no Buenos Aires