Economia e Negócios

Renda média do trabalhador no Piauí aumentou para R$ 1.600, diz IBGE

O rendimento efetivamente recebido pelas pessoas ocupadas no Piauí, de R$ 1.426,00, era cerca de 16% menor que aquele que seria normalmente recebido no mesmo período, de R$ 1.686,00.

Davi Fernandes
Teresina
- atualizado

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid 19 (PNAD Covid19), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que o rendimento médio real efetivamente recebido pelo trabalho no Piauí foi de R$ 1.426,00 no mês de maio, enquanto o do mês de agosto foi de R$ 1.622,00, uma elevação de 13,7% nesse período, o equivalente a R$ 196,00.

Em maio, o rendimento efetivamente recebido pelas pessoas ocupadas no Piauí, de R$ 1.426,00, era cerca de 16% menor que aquele que seria normalmente recebido no mesmo período, de R$ 1.686,00. Em agosto o rendimento efetivamente recebido, de R$ 1.622,00, apresentou uma diferença menor, de 7%, em relação ao salário que seria recebido normalmente no período, de R$ 1.732,00.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1DinheiroDinheiro

Com a recuperação da ocupação no mercado de trabalho no Piauí, a massa de rendimentos que havia sido de R$ 1,39 bilhão em julho, passou para R$ 1,49 bilhão em agosto, um incremento de 7%, o que representou uma variação de cerca de R$ 100 milhões no período de um mês.

A quantidade de horas trabalhadas por semana também vem apresentando aumentos sucessivos desde maio deste ano, quando chegou a 22 horas, passando para 25 horas em junho, 28 horas em julho e finalmente, 31 horas em agosto.

Aumento de 32 mil empregos

De acordo com os dados, de maio a julho, o Piauí apresentou mensalmente uma diminuição na força de trabalho, assim, chegando a uma queda total de 44 mil pessoas no período, uma redução de cerca de 4%. Em maio, a força de trabalho era constituída por 1.076.000 pessoas, número que reduziu para 1.064.000 em junho, 1.032.000 em julho e chegou a 1.064.000 pessoas em agosto.

NOTÍCIA RELACIONADA

Piauí registra aumento de 32 mil empregos em 2 meses, diz IBGE

Mais conteúdo sobre: