Piauí

Sebastião Martins diz que 'golpe dos precatórios' partiu do Ceará

O desembargador afirmou que a primeira informação é de que os golpes estão vindo do presídio de Maracanaú, localizado no Estado do Ceará.

Bárbara Rodrigues
Teresina
Germana Chaves
Teresina
- atualizado

O presidente do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), o desembargador Sebastião Ribeiro Martins, afirmou nessa segunda-feira (20) que a Polícia Civil está investigando o golpe em credores que estão à espera do pagamento de precatórios no Piauí. Ele acredita que o "golpe dos precatórios" partiu de um presídio do Ceará.

O desembargador afirmou que a primeira informação é de que os golpes estão vindo do presídio de Maracanaú, localizado no Estado do Ceará. Sebastião Martins alertou que as ligações estão sendo realizadas por estelionatários, que estariam entrando em contato com os credores e solicitando a realização de depósitos bancários para que os valores referentes aos precatórios sejam liberados.

  • Foto: Alef Leão/GP1Sebastião Ribeiro MartinsSebastião Ribeiro Martins

“A Polícia Civil já abriu o inquérito policial. O Matheus Zanatta esteve comigo, e as primeiras informações preliminares apontam que é do presídio da cidade de Maracanaú que estão telefonado para os credores, oferecendo vantagem. Nós colocamos uma nota pública, pois quem tem crédito a receber de precatório, não tem que pagar absolutamente nada, nem de custo e nem antecipação. Aguarde a sua vez que a fila é rigorosa”, alertou o desembargador.

Sebastião Martins explicou que em decorrência da transparência pública, os tribunais publicam a lista de credores e os valores, mas informam os números dos telefones e que ainda não se sabe como os estelionatários conseguem essas informações.

“O telefone não [informamos], mas tem no site do tribunal o nome dos credores e os valores. O próprio CNJ está vendo isso e talvez baixe uma nova resolução para que conste apenas o CPF da pessoa, porque realmente é muito fácil. Em nome da transparência, alguns estelionatários estão utilizando o nome das pessoas e a nossa recomendação é que não se deposite nada. Não consta no site do tribunal nenhum telefone”, destacou. O mesmo golpe já foi registrado em outros estados.

NOTÍCIA RELACIONADA

Bandido aplica golpe fingindo ser presidente do TJ em Teresina