Política

Temer e PMDB pedem que candidato aliado defenda ‘legado’ em 2018

Presidente afirma que qualquer um que apoiou reformas não terá como se dissociar do governo.

Nayrana Meireles
Teresina
- atualizado

O presidente Michel Temer disse nesta quinta-feira (18), durante evento ao lado dos ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha, que o candidato do campo governista na disputa presidencial de 2018 não vai conseguir dissociar a defesa das reformas ao legado da atual gestão.

Michel Temer reforçou, junto com os ministros que o candidato da base terá que cumprir essa missão. Segundo ele, qualquer um que defender as reformas não terá como se dissociar de seu governo. “Quem for candidato à Presidência da República e disser que vai continuar [no governo] ou que terá também um governo de reformas, estará cravado na sua campanha a tese do acerto do nosso governo”, disse.

  • Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão ConteúdoMichel TemerMichel Temer

Temer disse também que ousou para “fazer uma revolução na política administrativa e econômica do nosso País” e que na campanha do ano que vem “estará gravado” que o governo Temer tem um programa.

O presidente afirmou ainda que está fazendo “precisamente o que está no Ponte para o Futuro” e que partido teve “coragem e ousadia”. “Com todas as oposições ferozes que foram realizadas no período, a primeira foi dizer que houve um golpe, quando as pessoas não viam a Constituição brasileira”, afirmou.