GP1

Polícia

Polícia Civil prende dois empresários por furto de energia em Teresina

Os dois estabelecimentos ficam bem próximos um do outro, ambos situados na zona norte da capital.

A Polícia Civil do Piauí prendeu, nesta terça-feira (11) em Teresina, dois empresários acusados de furto de energia. Tratam-se de Ilkon Neco do Nascimento, proprietário do bar e restaurante Bariloche, e Carlos Eduardo Pereira Nunes, dono do Açaí no Grau, unidade Buenos Aires. Os dois estabelecimentos ficam bem próximos um do outro, ambos situados na avenida Jerumenha, no bairro Buenos Aires, zona norte da capital.

O GP1 apurou que a Equatorial Piauí, durante inspeções de rotina, constatou que no contador de energia do restaurante Bariloche havia um ímã para parar o medidor. Já na loja de Açaí, foi detectado que abriram e fraudaram uma fase do medidor.

Foto: Reprodução/WhatsAppBariloche e Açaí no Grau
Bariloche e Açaí no Grau

Nossa reportagem levantou a informação de que os dois empresários na verdade são arrendatários desses estabelecimentos, no entanto, eles são responsáveis pelas empresas e por isso foram presos.

Os empresários foram conduzidos à Central de Flagrantes de Teresina e autuados por furto qualificado mediante fraude.

Prisões anteriores de empresários

Quatro empresários chegaram a ser presos pela Polícia Civil nas últimas semanas, sob a mesma acusação. No dia 28 de abril, foram presos Francisco José da Cunha Almeida e Amaury Costa Cruz, donos do restaurante Dom Nelore Leste, e a empresária Lívia Carvalho Costa, sócia da choperia e restobar Zero Grau.

No dia 06 de maio, o proprietário da pizzaria Arlindo Pizza foi preso em flagrante por furto de energia elétrica. Arlindo Sarmento de Castro Filho, que também é policial militar do estado do Maranhão, foi preso na unidade do bairro Morada do Sol, zona leste de Teresina.

O que diz a proprietária da marca Açaí no Grau

A empresa M F Rocha, proprietária da marca Açaí no Grau, entrou em contato com o GP1 informando que as lojas da empresa funcionam como franquias e que não tinha conhecimento da conduta do franqueado preso pela Polícia Civil do Piauí. “O caso ocorrido foi com um franqueado nosso, onde não sabíamos dessa conduta dele. Mas nós do Açaí no Grau já entramos em contato com o franqueado e vamos marcar uma reunião, pois não somos coniventes com esse tipo de atitude”, contou a empresa.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.