GP1

José de Freitas - Piauí

Vereadora Helena Barros está entre os alvos da Operação Entrelaçados

Ela é proprietária de uma empresa suspeita de integrar um esquema criminoso de fraude em licitações.

O GP1 apurou com exclusividade que a vereadora Helena Maria Rocha Barros (Republicanos), de José de Freitas, é um dos alvos dos mandados de busca e apreensão da Operação Entrelaçados, deflagrada pela Delegacia de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (DECCOR) em conjunto com a Controladoria Geral da União (CGU) na manhã desta terça-feira (25). A parlamentar é dona de uma empresa suspeita de integrar um esquema criminoso de fraude em licitações.

Helena Barros é proprietária da empresa Bless Distribuidora, que funciona no mesmo endereço das empresas Du Vale Distribuidora e Prospetity Distribuidora, em José de Freitas, também alvos de investigação da operação.

Foto: Reprodução/FacebookVereadora Helena Barros
Vereadora Helena Barros

Secretário também foi alvo

Nossa reportagem apurou que, além da vereadora de José de Freitas, também foi alvo da Operação Entrelaçados o ex-secretário de Administração do município de Batalha, Francisco Pereira de Oliveira.

Operação Entrelaçados

A Polícia Civil do Piauí investiga um grupo criminoso acusado de promover fraudes licitatórias e irregularidades contratuais no município de Batalha, envolvendo recursos públicos federais que seriam utilizados no combate à covid-19.

Os investigadores da DECCOR constataram que dois irmãos eram responsáveis pelas empresas Ampliar Distribuidora, Expandir Distribuidora e F&P construtora e Locação. Concomitantemente, os policiais foram ainda na sede da Ômega Hospitalar, outro alvo da investigação, e apurou que a empresa é administrada tem como responsável legal um laranja.

Também foram alvos da operação as empresas Bless Distribuidora, Du Vale Distribuidora e Prospetity Distribuidora, todas situadas em um mesmo endereço na cidade de José de Freitas.

Investigação

Os levantamentos mostraram que as empresas investigadas possuíam estreita ligação e muitas vezes venceram licitações de 2017 a 2020, recebendo a quantia aproximada de R$ 16 milhões no decorrer desse período, somente do município de Batalha. Os responsáveis pelas empresas poderão responder pelos crimes de fraude à licitação, associação criminosa.

Outro lado

A vereadora Helena Barros não foi localizada pelo GP1.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.