GP1

Teresina - Piauí

FMS deve incluir jornalistas na prioridade da vacinação em Teresina

A Sesapi determinou que 20% das doses de vacinas sejam destinadas a grupos prioritários.

Após reunião com a Secretaria de Estado de Saúde (Sesapi) para definir a vacinação de novos grupos contra a covid-19, o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Gilberto Albuquerque confirmou ao GP1 nesta quarta-feira (09) que Teresina deve incluir os jornalistas que estão atuando na cobertura da pandemia na prioridade da imunização.

A medida ocorre porque a Sesapi determinou que 20% das doses de vacinas sejam destinadas a grupos prioritários que foram definidos pelas prefeituras municipais. No caso de Teresina, o prefeito Dr. Pessoa (MDB) reconheceu, por meio do decreto nº 20.811, de 1º de abril, que o jornalismo é essencial e deva entrar na prioridade da vacinação.

Foto: Lucas Dias/GP1Gilberto Albuquerque, presidente da FMS
Gilberto Albuquerque, presidente da FMS

“Uma das categorias que deve entrar é de jornalistas que o prefeito tinha prometido. Tivemos uma reunião na tarde de hoje com a Sesapi e ficou definido que 20% das doses irão para grupos, de acordo com cada município. Esses grupos precisam ser aprovados pelo Conselho Municipal de Saúde”, informou Gilberto Albuquerque.

Ainda de acordo com o presidente da FMS, ainda falta a Sesapi definir o número de doses que Teresina vai receber e após isso, será definida a logística de aplicação dos imunizantes.

“Para as novas doses, nós não sabemos qual o prazo a Sesapi vai entregar para nós, depois é que vamos nos planejar. Quando as doses chegarem, vamos receber a nota técnica e a gente já divulga quando serão aplicadas e dependendo do número de doses nós definidos os grupos que serão vacinados”, pontuou o presidente da FMS.

Vacinação do público geral

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CiB) decidiu nesta quarta-feira (9) que 50% dos lotes das vacinas que chegarem ao Piauí a partir de hoje serão destinadas para o público geral de 18 a 59 anos, mesmo que não tenha comorbidades.

A reunião da CIB decidiu também que 30% das vacinas que chegarem ao Estado serão usadas para dar sequência à imunização do público com comorbidades e deficiência e 20% para os grupos que forem reconhecidos pelos Conselhos Municipais de Saúde de cada cidade como prioritários.

“Este reconhecimento de prioridade será feito pelos próprios municípios”, afirmou o Superintendente de Atenção à Saúde da Sesapi, Herlon Guimarães.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.