GP1

Altos - Piauí

Corpo enterrado ao lado da Major César pode ser de alvo do Tribunal do Crime

Jesus San Rocha de Araújo foi executado por membros do PCC e enterrado em uma cova rasa.

No Piauí, mais uma execução está sendo atribuída ao Tribunal do Crime, prática que vem sendo recorrente na guerra entre as facções criminosas. O corpo de um homem que foi encontrado no último dia 30 de junho em uma cova rasa, ao lado da Colônia Agrícola Major César, pode ser de Jesus San Rocha de Araújo, 33 anos, membro do Comando Vermelho, com atuação no litoral do Piauí. O detento tinha sido transferido da Penitenciária Mista de Parnaíba para a Major César no dia 1º de junho e 13 dias depois desapareceu do sistema prisional, em Altos.

Jesus San Rocha de Araújo havia sido preso por crime de furto qualificado em Parnaíba no mês de maio de 2019, ocasião em que entrou em um estabelecimento comercial e cometeu o furto. Em novembro do mesmo ano, a Justiça o sentenciou para dar início ao cumprimento da pena de 05 anos e 9 meses em regime semiaberto, determinando, portanto, que ele fosse transferido para a Major César, o que ocorreu somente em 1º de junho deste ano, depois de esgotado todos os recursos da defesa do réu.

Morte do detento

Um levantamento realizado pelo GP1 aponta que na manhã do dia 14 de junho de 2021 outros quatro detentos, membros do PCC, executaram Jesus San Rocha de Araújo com pedradas e ainda o asfixiaram em uma ala desativada da Colônia Agrícola Major César, ainda no turno da manhã.

Já no período da noite, o corpo de Jesus San foi retirado da penitenciária e enterrado em uma cova rasa, nas proximidades da Colônia Agrícola Major César. No dia seguinte, em 15 de junho, a administração da penitenciária constatou a ausência do detento e quando os familiares o procuraram receberam a informação de que Jesus San havia se evadido do sistema, quando na verdade ele já estava morto.

O corpo do detento somente foi encontrado no dia 30 de junho, cerca de duas semanas depois, enterrado em uma cova rasa na Floresta dos Palmares, ao lado da Major César.

Investigações

O GP1 procurou a Delegacia Geral da Polícia Civil do Piauí e em entrevista a nossa reportagem, o delegado Matheus Zanatta, Gerente de Polícia Especializada, ressaltou que vai apurar as informações levantadas pela reportagem e, se confirmadas, repassar as investigações para o Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa - DHPP.

“A Polícia Civil do Piauí vai analisar as informações que foram trazidas, coletar mais elementos informativos, verificar a procedência dessas informações e analisar a possibilidade de mandar o caso para a Delegacia de Homicídios de Teresina, comandada pelo delegado Barêtta”, pontuou.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.