GP1

Saúde

Agência reguladora da União Europeia aprova vacina da Moderna

Agora, imunizante precisa receber aval da Comissão Europeia; decisão deve sair ainda nesta quarta.
Por Estadão Conteúdo

A vacina contra a covid-19 da Moderna obteve o aval do regulador de medicamentos da União Europeia, abrindo caminho para uma segunda arma na luta do bloco para conter a pandemia.

A recomendação foi anunciada pela Agência Europeia de Medicamentos nesta quarta-feira, 6. A Comissão Europeia informou que está trabalhando "a toda velocidade" na etapa final de liberação, escreveu a presidente Ursula Von Der Leyen no Twitter.

Os líderes da UE estão enfrentando pressão crescente para acelerar a liberação e distribuição de vacinas para frear o ressurgimento do vírus em todo o continente.

O bloco de 27 nações iniciou as imunizações na semana passada com a vacina desenvolvida pela Pfizer/BioNTech, mas o ritmo do lançamento tem sido irregular, levando a comparações desfavoráveis ​​com o Reino Unido e os Estados Unidos.

A vacina da Moderna foi desenvolvida com o National Institutes of Health, dos EUA, e é administrada em um regime de duas doses. A vacina foi liberada para uso emergencial pelos reguladores dos EUA em 18 de dezembro.

"Esta vacina nos fornece outra ferramenta para superar a emergência atual", disse Emer Cooke, diretor executivo da Agência Europeia de Medicamentos, em um comunicado. "Vamos monitorar de perto os dados sobre a segurança e eficácia da vacina para garantir a proteção contínua do público da UE. Nosso trabalho será sempre guiado por evidências científicas."

A UE anunciou recentemente que tem uma opção por 100 milhões de doses adicionais da vacina Pfizer/BioNTech, elevando o total da empresas para 300 milhões. O bloco encomendou 160 milhões de doses da vacina Moderna, informou a empresa no mês passado.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.