GP1

Saúde

Vacina da Pfizer continua eficaz seis meses após duas doses, diz estudo

As descobertas vêm do acompanhamento dos 46 mil voluntários que participaram dos testes da vacina.
Por Estadão Conteúdo

As empresas Pfizer e BioNTech relataram nesta quinta-feira, 1º, que sua vacina contra covid-19 permanece altamente eficaz por pelo menos seis meses após a segunda dose ser administrada. As farmacêuticas disseram que a imunização também funciona contra a variante sul-africana do coronavírus Sars-CoV-2.

As descobertas vêm do acompanhamento dos mais de 46 mil voluntários que participaram da fase 3 dos testes clínicos da vacina. Entre eles, foram registrados 927 casos de covid-19 até o dia 13 de março, o que indica uma eficácia de 91,3%, calculada para o período entre sete dias e até seis meses após a segunda dose: 850 eram do grupo que recebeu placebo e 77 receberam a vacina.

De acordo com a nova análise, a vacina foi 95,3% eficaz em proteger contra a ocorrência de doença severa, conforme a definição de gravidade da agência de regulação de drogas dos Estados Unidos, a FDA. Do grupo avaliado, mais de 12 mil participantes vêm sendo acompanhandos por pelo menos seis meses após a segunda dose, reforçando o perfil de segurança do imunizante.

"É um passo importante para confirmar a alta eficácia e os bons dados de segurança até agora, especialmente no acompanhamento de longo prazo", disse o presidente-executivo da BioNTech da Alemanha, Ugur Sahin, na nota.

O estudo também mostrou que a vacina parece funcionar de maneira semelhante contra a variante do vírus detectada na África do Sul, onde essa cepa é majoritária e onde apresentou 100% de eficácia, embora em um grupo menor, com apenas 800 participantes.

"A alta eficácia da vacina observada por até seis meses após uma segunda dose e contra a variante prevalente na África do Sul oferece mais confiança na eficácia geral de nossa vacina", disse o CEO da Pfizer, Albert Bourla.

A vacina foi a primeira licenciada no Ocidente e é uma parte fundamental das campanhas de imunização que acontecem em grande parte do mundo.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.