GP1

Coronavírus no Piauí

Veja como será o funcionamento do comércio após decreto de Wellington Dias

Em entrevista ao GP1, o secretário de Governo, Osmar Júnior, esclareceu que o decreto não impõe lockdown e sua vigência será até o dia 21 de fevereiro.

Com as novas medidas para conter o avanço da covid-19 no Piauí, o governador Wellington Dias (PT) vai restringir os horários de funcionamento do comércio durante o período de prévias do Carnaval no Piauí. A medida vai atingir também os shoppings, restaurantes, bares e proibindo qualquer festividade carnavalescas.

Em entrevista ao GP1, o secretário de Governo do Estado, Osmar Júnior, esclareceu que o decreto não impõe lockdown e deve ser publicado no Diário Oficial ainda nesta terça-feira (26) até 00h. A medida vai reduzir o horário de funcionamento das atividades econômicas e ficará vigente até o dia 21 de fevereiro.

Foto: Alef Leão/GP1Osmar Júnior
Osmar Júnior

“Esse decreto está sendo editado ainda e até meia-noite de hoje será publicado no Diário Oficial. Ele vai estabelecer algumas medidas, mas não haverá lockdown. O decreto vai estabelecer a restrição ao funcionamento do comércio para evitar as aglomerações. A vigência dessa medida vai até o dia 21 de fevereiro e a partir daí o COE vai realizar novas averiguações para ver o contágio da covid-19”, destacou.

Entenda os horários de funcionamento

Ainda de acordo com o secretário de Governo, com o decreto, as atividades de lojas e comércio devem funcionar de 8h até as 14h e os shoppings funcionarão de 10h até as 19h. Já os restaurantes e bares, poderão ficar abertos até as 23h. No entanto, os shows nesses locais estão proibidos.

“O decreto ataca 3 áreas, primeiro proíbe qualquer tipo de festa de Carnaval, segundo a medida atinge as atividades econômicas, que definirá o horário de funcionamento e isso engloba restaurantes e bares. Com isso, as lojas ficarão abertas até as 14h, shoppings até 19h. Já os bares e os restaurantes podem funcionar até 23h e nesses estabelecimentos não podem haver shows ao vivo. Por terceiro, o decreto vai exigir uma mobilização das forças de segurança pública para a fiscalização”, finalizou.

Durante a vigência do decreto, a fiscalização dever ser realizada pela Polícia Militar do Piauí (PM-PI) e outras instituições de segurança pública.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.