GP1

Economia e Negócios

Área de plantio de soja cresceu 120% em dez anos no Piauí, diz IBGE

A soja é responsável por mais da metade de todo o valor obtido com a produção agrícola no estado.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nesta quarta-feira (22), os resultados da pesquisa Produção Agrícola Municipal de 2020, que constatou o aumento de 120% na área de plantio de soja no estado do Piauí na última década, entre 2010 e 2020.

No período, a quantidade de soja produzida também aumentou consideravelmente, cerca de 181%. O volume da produção, que foi de 868 mil toneladas em 2010, atingiu a marca de 2,4 milhões de toneladas em 2020. A soja é atualmente o principal produto agrícola do Piauí, sendo responsável por mais da metade (56,6%) de todo o valor obtido com produção agrícola no território estadual.

Milho

Também aumentou a área com cultivo de milho nos últimos dez anos. O crescimento foi de 50,8%, sendo que a extensão passou de 310 mil hectares em 2010, para 467 mil em 2020. Já o volume produzido do grão teve crescimento de 542% no período.

Em 2010, foram produzidas aproximadamente 342 mil toneladas de milho, tendo atingido a 2,1 milhões de toneladas em 2020. O milho é o segundo produto agrícola mais produzido no estado, tendo gerado 26,4% do valor total da produção agrícola piauiense em 2020.

Arroz

Por outro lado, a área de plantio de arroz reduziu 58,9% entre 2010 e 2020. Cerca de 132 mil hectares eram usados para o cultivo de arroz em 2010, restando apenas 54 mil hectares em 2020. A quantidade produzida também sofreu queda, de 8,1% no período. Enquanto 113 mil toneladas foram obtidas em 2010, o volume caiu para 103 mil em 2020.

O arroz perdeu participação no valor gerado pela produção agrícola piauiense: em 2010, apenas a soja e o milho o superavam em valor, já em 2020, o valor da produção do arroz também foi superado pelo feijão, mandioca e cana-de-açúcar.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.