Saúde

Covid-19: Anvisa suspende testes de vacina da Johnson & Johnson

A imunização desenvolvida pela Johnson & Johnson é uma das quatro que receberam autorização para fase 3 de testes no Brasil.

Por  Estadão Conteúdo
- atualizado

Após comunicado da paralisação dos testes da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela empresa Janssen-Cilag Farmacêutica Ltda, divisão farmacêutica da Johnson & Johnson, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou que vai investigar os dados e então decidirá pela continuidade do estudo. Até a decisão, os testes continuarão paralisados.

Em nota, a Anvisa disse que “procederá com a análise dos dados da investigação e decidirá pela continuidade ou interrupção permanente do estudo clínico, com base nos dados de segurança e avaliação risco/benefício”. Até o momento, 12 voluntários no Brasil, todos do Rio de Janeiro, já haviam participado do teste, recebendo a dose da vacina ou do placebo.

De acordo com informações do BR Político, a vacina é uma das quatro que receberam autorização para realizar testes da fase 3 de ensaios clínicos no Brasil. A vacina estava sendo testada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A inclusão do primeiro voluntário brasileiro no estudo ocorreu em 9 de outubro e novas inclusões só poderão ocorrer quando houver autorização da Anvisa, que procederá com a análise dos dados da investigação e decidirá pela continuidade ou interrupção permanente do estudo clínico, com base nos dados de segurança e avaliação risco/benefício.

A Janseen-Cilag interrompeu o estudo devido um evento adverso grave ocorrido em um voluntário no exterior. O estudo continuará interrompido até que haja investigação de causalidade por parte do Comitê Independente de Segurança, como parte dos procedimentos de Boas Práticas Clínicas. Os detalhes sobre o evento e o estado de saúde do voluntário não foram divulgados.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Johnson & Johnson pausa testes de vacina após doença inexplicada de voluntário

Datafolha: maioria quer que vacina para covid-19 seja obrigatória

Mais conteúdo sobre: