Brasil

Jair Bolsonaro contesta pena maior para maus-tratos a animais

Segundo o presidente, há lobby do "pessoal que defende animais" para ele aprovar a proposta.

Por  Estadão Conteúdo
- atualizado

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que vai lançar uma espécie de enquete no Facebook para decidir se vai sancionar ou não a proposta que aumenta a pena para maus-tratos contra cães e gatos. Em transmissão ao vivo pelas redes sociais, ele contestou a punição aprovada no Congresso.

"O que eu pretendo fazer, vou colocar no meu Facebook o texto da lei para o pessoal fazer comentários. Só deixo avisado, quem for para a baixaria é banimento. Pode reclamar, a pena é excessiva, é grande, tem que sancionar, tem que vetar. Porque não é fácil tomar uma decisão como essa daí", disse o presidente.

Em seguida, Bolsonaro pediu a opinião da youtuber mirim Esther Castilho, que o acompanhou na "live". "Dá para você entender o que são dois anos de cadeia porque uma pessoa maltratou um cachorro? A pessoa tem que ter uma punição, mas dois anos... Dois a cinco anos?", comentou Bolsonaro.

A menina de dez anos não concordou, dizendo achar pouco. "Eu acho que é muito pouco (a pena), viu. A gente tem que cuidar do animal, não tem que maltratar ele", afirmou a youtuber.

Atualmente, a legislação prevê detenção de três meses a um ano e multa para maus-tratos contra animais e, se a agressão resultar em morte, a punição é aumentada de um sexto a um terço. Com o projeto, quando se tratar de cão ou gato, a pena será de dois a cinco anos de reclusão, multa e proibição da guarda.

O projeto foi aprovado na quarta-feira, 9, pelo Senado e depende apenas de sanção de Bolsonaro para virar lei.

Em outro momento, Bolsonaro fez uma comparação de que a pena para abandono de incapaz, como um bebê recém-nascido, é de seis meses a três anos. Ele questionou, então, a opinião do presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, que avaliou que as duas penas para os diferentes crimes são baixas, já que considera que os animais também são "incapazes".

Em seu perfil no Instagram, a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, postou na noite de ontem uma foto de Bolsonaro com um cachorro e defendeu a sanção da lei.

"Fazendo charme para o meu papai @jairmessiasbolsonaro sancionar a PL1095 para nos proteger de maus-tratos. #sancionaPL1095", postou Michelle.

Segundo Bolsonaro, há lobby do "pessoal que defende animais" para ele sancionar a proposta que aumenta a pena. Ele também citou, no entanto, que existem pessoas próximas a ele reclamando que a nova pena seria "muito alta".

"Quem aí maltrata animais, a pena vai passar de dois anos para cinco anos de reclusão. É cana. Isso se eu sancionar isso aí", disse Bolsonaro durante a transmissão.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Bolsonaro diz que deve vetar parte de dívidas das igrejas evangélicas

Bolsonaro veta mudança em divisão de recursos do pré-sal para Estados