Política

Marcelo diz que interferência de Wellington na Alepi vai causar atrito

“Se tiver disputa haverá ranhuras, haverá desinteligências, haverá queixas. Não é bom para o governador uma disputa na Assembleia", disparou Marcelo.

Bárbara Rodrigues
Teresina
Germana Chaves
Teresina
Nayrana Meireles
Teresina
- atualizado

O senador eleito Marcelo Castro (MDB) afirmou, nessa sexta-feira (7), que o governador Wellington Dias (PT) causará um atrito entre os partidos aliados se interferir na eleição da mesa diretora da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi).

A eleição da Alepi ocorre apenas em fevereiro do próximo, mas já tem sido discutida entre os políticos. Themístocles Filho (MDB) pretende disputar novamente a reeleição, já os petistas e progressistas estariam interessados em lançar uma chapa. Todos fazem parte da base do governo.

Para Marcelo Castro, o governador só deveria interferir se fosse para buscar um consenso. “Nós queremos que o governador, como deve ser, se coloque de maneira neutra. Se o governador interferir, seja no sentido de um grande entendimento. O que é que eu tenho dito desde o primeiro instante, é que o ideal para o governador, se eu estivesse no lugar dele, como é que eu gostaria que resolvesse o problema da presidência da Assembleia? Em uma conciliação, num entendimento amplo entre todas as forças políticas que apoiaram o atual governador para chegarmos a vitória”, destacou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Marcelo CastroMarcelo Castro

O senador eleito destacou que o eventual apoio de Wellington em uma disputa com participação de deputados aliados, acabaria trazendo atrito. “Se tiver disputa haverá ranhuras, haverá desinteligências, haverá queixas. É difícil sair de um processo desse sem a pessoa ‘ah o governador intercedeu, tirou voto para fulano, me derrotou’. Não é bom para o governador uma disputa na Assembleia. Se não tiver jeito, a maneira de resolver os conflitos é com Democracia, pelo voto. Se não tiver jeito, tem que ir para o voto. Agora nós estamos advogando em benefício do conjunto que elegeu o governador. Em benefício da governabilidade, em benefício de uma maior tranquilidade para o governador um amplo entendimento entre todas as forças que estiveram juntas agora na eleição de 2018”, afirmou.

Questionado sobre o melhor nome para presidir a Alepi, ele destacou. “Qual você acha que deve ser a minha resposta? Mas é claro, o Themístocles, que é do MDB”, disse o parlamentar explicando que ainda não conversou com Wellington sobre ele se manter neutro na disputa.

“Eu acho que o governador jamais vai dizer que é a favor de um e contra outro, sendo pessoas que estão na sua base, partidos que apoiaram a sua eleição. É impensável o governador fazer uma coisa dessas. Então seria até um despropósito meu, eu provocar uma situação que de fato eu acredito que não vai acontecer”, finalizou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Themístocles defende que Wellington Dias não interfira em eleição

JVC e Themístocles Filho se reúnem para discutir eleição da Alepi

Severo Eulálio defende reeleição de Themístocles à frente da Alepi